fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Delmasso diz que momento não é oportuno para CPI da Pandemia

“Precisamos dar apoio político e institucional ao MP”, argumentou o distrital, com pensamento contrário ao de muitos colegas. Ele pede para caso não ser “politizado”

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Por Hylda Cavalcanti
[email protected]

O vice-presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), deputado distrital Rodrigo Delmasso (Republicanos), deu uma declaração polêmica hoje (1º). Ele afirmou que não considera o momento oportuno para a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Casa com o objetivo de investigar as ações de combate à pandemia da covid – que está sendo chamada de CPI da Pandemia.

A fala de Delmasso vai ao encontro de 13 deputados distritais que não somente assinaram o pedido de CPI como pretendem atuar esta semana para que a comissão seja instalada o quanto antes.

Delmasso se justificou destacando que não é contra a realização de qualquer tipo de investigação sobre o sistema de Saúde pública do Distrito Federal e o uso dos recursos públicos no combate ao coronavírus. Mas sim, a que a investigação seja “politizada”, o que pode acontecer, segundo ele, caso venha a ser realizada também por meio de uma CPI da Câmara.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O parlamentar elogiou a atuação do Ministério Público no caso que, a seu ver, “está fazendo um trabalho belíssimo”. E disse que instalar a CPI vai ser o mesmo que o Legislativo demonstrar desconfiança com o trabalho do MP. “Poderemos passar uma imagem errada para o MP que já chegou até mesmo a prender integrantes do primeiro escalão da secretaria de Saúde”, acrescentou.

Ele argumentou ainda que uma CPI na Câmara Legislativa tem caráter de investigação política, enquanto a investigação que tem sido feita pelo MP tem caráter técnico.
“Não estou brigando com os colegas deputados que pensam de modo diferente. Estou apenas colocando com respeito a minha posição”, acentuou Delmasso.

O pedido para instalação da CPI ainda depende de uma avaliação do colégio de líderes da CLDF, porque existem solicitações para duas outras comissões antes desta: uma CPI para apurar maus-tratos de animais e uma outra para apurar fake news.

Cobrança forte

Para que a CPI da Pandemia passe na frente dessas duas é preciso uma decisão colegiada, mas parlamentares dos mais diversos partidos, inclusive com apoio da bancada federal do DF, têm argumentado que há uma cobrança forte da população para que a Casa entre na investigação.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Principalmente, depois que toda a cúpula da secretaria de Saude foi presa, na última semana, por envolvimento em fraude na compra de testes para a covid.

“Concordo que a investigação tem de avançar e quero deixar claro que não sou contrário a isso. Só acho que o órgão competente para essa apuração é o Ministério Público e não podemos nos envolver. O que precisamos é dar respaldo político e institucional ao Ministério Público para que possa investigar tudo e todos”, afirmou o deputado.

As declarações do primeiro secretário da Câmara o colocam ainda mais na linha de fogo dos oposicionistas que pedem pela instalação da CPI da Pandemia. Delmasso apresentou, na última semana, dois outros pedidos para novas CPIs: uma para investigar sonegação dos bancos no DF e outra para investigar os esquemas de pirâmide financeira.

A iniciativa foi vista como mais uma estratégia da base aliada do governo para impedir que a CPI da Pandemia venha a ser instalada. Além de Rodrigo Delmasso, também se comenta em toda a CLDF que o presidente da Casa, deputado Leonardo Prudente (MDB) também atua para impedir a instalação da comissão.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade