fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Curso de inteligência é oferecido para servidores locais e federais

Integração marca segunda edição de Curso de Inteligência de Segurança Pública

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Pelo segundo ano consecutivo, a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP/DF) promove o Curso de Inteligência de Segurança Pública. A integração entre agências de inteligência de Segurança Pública local e federal marca mais uma vez a edição do curso, que teve início nesta segunda-feira (9), com cerimônia de lançamento no auditório do Departamento de Trânsito do DF (sede). Trinta e dois alunos estão inscritos no curso, que termina no final deste mês. As aulas serão ministradas na Escola de Governo do Distrito Federal (EGov).

Baseado em metodologia ativa de ensino, o curso busca proporcionar aos alunos das 16 instituições participantes, entre forças de segurança do DF, Goiás e Tocantins, além de outras convidadas do Sistema Brasileiro de Inteligência (Sisbin), um aprendizado teórico e prático, contextualizado com situações reais e cotidianas da atividade de inteligência.

A capacitação faz parte da Política de Segurança Pública do Distrito Federal, como afirma o secretário de Segurança Pública, delegado Anderson Torres. “A formação dos operadores das forças de segurança está entre nossas principais metas. Desde o início desta gestão, a integração é prioridade e isso deve ocorrer principalmente na área de inteligência, pois são elas que pautam nossas ações, que têm tido resultados positivos no DF. As ações com base em informações de inteligência são fundamentais para estarmos à frente de ações criminosas, para proteção do Estado e do cidadão”, afirmou.

Vinte e três especialistas de 13 diferentes instituições, oriundos das forças de segurança do DF e Federal, além de outras do Sisbin, serão instrutores no curso. “A integração de diferentes órgãos, sejam alunos ou professores, é extremante importante para a difusão de informações. Essa troca de experiências resulta na melhoria de processos, não só de órgãos locais e federais, mas, também, de outros estados”, explicou Torres.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O secretário-executivo de Segurança Pública, delegado Júlio Danilo, também falou da importância da inteligência no enfrentamento à criminalidade. “Avançarmos nessa questão é de fundamental importância, principalmente para desenvolvermos a inteligência para o enfrentamento da criminalidade como um todo. Antes pensávamos em inteligência apenas com o envolvimento de órgãos policiais, mas, atualmente, vemos como é importante a integração com outras áreas. Um dado levantado pode ser fundamental para uma operação, para uma investigação ou pode até mesmo ser adotado como procedimento de proteção para uma instituição”, disse.

Política de segurança

O curso é organizado pela Subsecretaria de Inteligência (SI) da SSP/DF e de acordo com o subsecretário de Inteligência, delegado George Couto, foi planejado atendendo a política de segurança pública do DF. “A importância do curso se faz presente no momento em que aproximamos os órgãos de inteligência e a Secretaria de Segurança Pública. Nossa missão, além de integrar, é oferecer um protocolo de padronização de atuação, de nivelamento de conhecimento entre as agências. Estamos alinhados com a política de segurança, com as diretrizes estabelecidas e também levamos em consideração os resultados positivos obtidos por meio do serviço de inteligência”, garantiu.

O diretor-adjunto da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Frank Márcio de Oliveira, em aula inaugural, ministrou a palestra Política, Estratégica e Planos Nacionais de Inteligência, na qual tratou sobre o papel do Sistema Brasileiro de Inteligência, além dos documentos que o normatizam. O representante da Abin abordou a política nacional de inteligência, vigente desde junho de 2016, e a estratégia nacional de inteligência, elaborada em 2017.

As informações são da Agência Brasília

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade