Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Cuidado com a “falsa miopia”

Excesso de uso de equipamentos tecnológicos, como o celular, pode causar problema na visão

Publicado

em

Publicidade

Camilla Germano
redacao@grupojbr.com

A prática de usar aparelhos eletrônicos com frequência durante o dia é uma característica da nova era digital. Estamos sempre em frente a telas, seja do celular, computador, tablet e afins, no entanto, isso não é bom para a visão.

O termo “falsa miopia” ou miopia acomodativa é um mecanismo do próprio corpo para avisar de que é necessário dar um descanso para os olhos.

A “falsa miopia” tem como principal sintoma a visão embaçada ao olhar para longe após longos períodos forçando a vista observando imagens próximas. De acordo com o médico oftalmologista Hilton Medeiros, isso ocorre porque um músculo dentro do olho, chamado ciliar, se contrai para focalizar imagens próximas, esforçando-se para encontrar o foco.

“Com o esforço constante, ele (o músculo) entra em fadiga e para conseguir focalizar as imagens de longe, este músculo precisa estar relaxado”, explica o oftomolista.

Os sintomas são similares aos da miopia convencional, no entanto, no caso da “falsa” o caso pode ser revertido em estágios iniciais. Primeiramente é necessário um diagnóstico do quadro para depois entender se é necessária a correção com óculos.

Em adultos, o esforço repetitivo não necessariamente irá gerar a miopia. Mas, crianças com a visão em formação têm quase o dobro de chances de desenvolver miopia acomodativa e, a longo prazo, mais propensão a desenvolver miopia verdadeira.

Dados da Pesquisa Brasileira de Mídia, elaborada pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, em 2016, apontam que a maioria das pessoas entre 16 e 34 anos utilizam a internet por mais de 300 minutos por semana. Os mais velhos, no entanto, gastam, por semana, até 60 minutos na internet.

Em todas as idades

A “falsa miopia” pode acontecer em pessoas de todas as idades que não tenham, anteriormente a miopia. Além disso, as pessoas que têm hipermetropia também são suscetíveis a ter a “falsa miopia” porque já têm a dificuldade de enxergar de perto e precisam fazer um esforço exagerado para focar imagens de perto. “Os músculos se contraem e a visão permanece focada para perto, porém embaçada para longe, dando a falsa impressão de miopia”, comenta o oftalmologista.

Guilherme Cesar, de 15 anos diz que não sabia que esse tipo de miopia existia. Ele conta que usa o computador tanto para jogar videogames quanto para estudar e que fica mais de cinco horas por dia usando aparelhos eletrônicos. “Minha visão fica um pouco embaçada, principalmente a noite, impossibilitando a leitura de alguns textos que eu normalmente tenho que ler”, conta. O estudante não tem um diagnóstico médico comprovando a existência da falsa miopia, mas sofre com a vista embaçada com frequência.

A importância está no diagnóstico para assim saber o que se pode fazer para reverter o quadro ou descobrir o que pode ser feito para diminuir o conforto visual de pacientes. É o caso de Adriana Beltrão.

A dentista de 53 anos, diz que estava sofrendo com a visão embaçada para longas distâncias há um tempo quando resolveu ir ao oftalmologista. Ela explica que não sabia que existia a “falsa miopia”, mas que hoje já não sofre mais com isso. “O médico me recomendou a não ficar longos períodos usando esses aparelhos e também me disse para fazer intervalos de ao menos cinco minutos a cada uma hora de uso para descansar a vista”, conta ela. O médico teve que prescrever o uso de óculos, depois do diagnóstico, que ela precisa usar apenas quando sabe que ficará longos períodos usando o computador.


Você pode gostar
Publicidade