fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Corpo encontrado na Bahia é mesmo o de Bernardo

Exame de DNA realizado pelo Instituto de Pesquisa Forense, da Polícia Civil do DF, comprovou a suspeita

Willian Matos

Publicado

em

PUBLICIDADE

Willian Matos
redacao@grupojbr.com

A suspeita se confirmou: o corpo encontrado na quinta-feira (5), às margens da BR-242, em Palmeiras-BA, é mesmo do menino Bernardo, de 1 ano e 11 meses, assassinado pelo pai, Paulo Roberto de Caldas Osório. 

O Instituto de Pesquisa de DNA Forense da Polícia Civil do DF (IPDNA/PCDF) realizou exames genéticos para se ter a certeza. As amostras biológicas do corpo encontrado na BR-242 chegaram a Brasília por volta de 12h30 de sábado (7). Depois, os profissionais confrontaram o material com o DNA dos pais. O procedimento durou cerca de seis horas, até que o Instituto chegou à conclusão de que tratava-se mesmo do menino Bernardo.

Na tarde dessa quinta (5), um morador de Campos do São João, distrito de Palmeiras-BA, encontrou o corpo, já em decomposição, uma cadeirinha e um cordão de âmbar, características utilizadas para descrever Bernardo no dia em que o pai o buscou na creche. Ele comunicou à polícia, que fez contato com a Delegacia de Repressão a Sequestros (DRS/PCDF), responsável pelas investigações.

Cadeirinha foi encontrada em uma mata. Foto: Divulgação/PCDF

Entre terça (3) e quinta-feira (5), agentes do Distrito Federal (DF) chegaram a vasculhar uma região de 100 km de mata próximo a Luis Eduardo Magalhães-BA em busca de Bernardo. Como nada foi encontrado pela corporação, os policiais voltaram para Brasília. No entanto, após a informação da delegacia do Estado da Bahia, a PCDF retomou viagem.

O caso

O garoto Bernardo, de 1 ano e 11 meses, está desaparecido desde a última sexta-feira (29). Paulo Roberto de Caldas Osório, 45 anos, sumiu com o garoto. Até então, o bebê não havia sido encontrado.

A suspeita é que Paulo queria tirar Bernardo da mãe, Tatiana da Silva Marques, 30 anos, e da avó materna. Ele foi preso em Alagoinhas-BA no sábado (30), mas o garoto não estava com ele. Perguntado onde o filho estava, Paulo disse que o dopou com remédios utilizados apenas por adultos na última sexta (29), fez viagem com ele até a Bahia e, quando percebeu que ele estava morto, o jogou numa mata. 


Leia também
Publicidade