Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Comércio do DF está otimista

Sindivarejista prevê alta de 4,5% nas vendas em relação ao movimento registrado no ano passado

Publicado

em

Da Redação
[email protected]

O volume de vendas do comércio varejista para o Dia dos Namorados – 12 de junho – deverá registrar no Distrito Federal alta de 4,5%. Confirmada a expectativa do Sindicato do Comércio Varejista do DF (Sindivarejista), o resultado das vendas será a terceira alta anual consecutiva. Em 2018, atingiu 4% e em 2017, 3,5%.

O Dia dos Namorados é considerado a terceira data comemorativa mais importante do calendário varejista, devendo movimentar este ano no DF R$ 550 milhões, contra R$ 490 milhões do mesmo peeríodo em 2018.

Em termos de vendas, as melhores datas são Natal, Dia das Mães, Dia dos Namorados, Dia dos Pais e Dia da Criança.

O presidente do Sindivarejista, Edson de Castro, disse ontem que os segmentos de vestuário, acessórios, perfumes e cosméticos devem liderar as vendas. O gasto médio com presentes pode chegar a R$ 190, contra R$ 170 do ano passado. E os cartões de crédito respondem por 93% do faturamento das lojas.

Pesquisa

Edson recomenda que o consumidor deve pesquisar antes de comprar. “Para vender mais, o comércio está facilitando ao máximo as formas de pagamento. O ideal é pesquisar preços e qualidade na hora de presentear”, afirma.

Dona de uma fábrica de roupas e de quatro lojas de moda feminina em Brasília, a empresária Cristiane Moura está otimista depois de vender mais 8% no Dia das Mães, em maio. “Agora, esperamos que o faturamento cresça ao menos 6% porque a moda outono/inverno está repleta de novidades.”

“O mais caro que já paguei por um presente foi R$ 200 e, neste ano, devo gastar cerca de R$ 50”, explica a administradora Elaine Gomes, que sempre é presenteada pelo namorado.

“Ele nem sempre acerta na escolha, mas tenta acertar. Geralmente, conta com a ajuda da mãe ou das irmãs. Mas, eu acho que, se ele buscasse uma loja que oferece ajuda especializada, observando o meu estilo, talvez acertasse melhor. Então, fica a dica”, completa, entre risos.

No Brasil, o volume de vendas do comércio deverá registrar alta mais modesta – de 1,9% em relação ao mesmo período do ano passado. Caso também seja confirmada a expectativa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o resultado das vendas registrará a terceira alta consecutiva após amargar perdas durante a recessão econômica (-1,1% em 2015 e -4,9% em 2016, respectivamente). A CNC calcula um movimento de R$ 1,64 bilhão no comércio do país.

Vantagens, muito mimo e promoções

Neste Dia dos Namorados, as lojas de Brasília procuram driblar a crise nas vendas com brindes e promoções. Basta dar uma volta no Sudoeste, região que ainda tem comércio de rua movimentado, para reparar que são vários os estabelecimentos que tentam chamar a atenção com descontos.

Proprietária da Vestido de Chita, uma marca especializada em roupas femininas, Polliana Ribeiro conta que o desafio da loja é atrair o público masculino. “Para isso, oferecemos consultoria para que o homem acerte no presente, enquanto ele toma uma cerveja gelada aqui na loja”, explica.

A Zenska, outra loja de roupas no Sudoeste, oferece vantagens para quem comprar mais. Se o cliente adquirir de duas a três peças, garante um desconto de 20%. Nas compras acima de quatro itens, o abatimento pode chegar a 30%.

O foco da empresa não é só o presente do Dia dos Namorados, mas também aquelas clientes que vão passar a data sozinha, como é comum também. “Minhas clientes aqui estão mais para a fase de curtir o amor próprio”, explica Márcia Marques, enquanto colava na porta da loja um adesivo que anunciava a promoção.

“Se vai passar o Dia dos Namorados com o ‘love’ ou sozinha, não importa. O que importa mesmo é que a promoção da Zenska é para todo mundo”, diz o anúncio.


Você pode gostar
Publicidade
Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA

Publicidade