fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Com ocupação de 60,71%, GDF inicia desmobilização dos leitos de UTI

Okumoto lembrou que a taxa de ocupação dos leitos de UTI se encontra em 60,71%, o que ele classificou como “confortável”

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Guilherme Gomes
[email protected]

O Governo do Distrito Federal (GDF) realizou, nesta sexta-feira (9), um coletiva de imprensa para discutir a desmobilização de leitos de UTI para a covid-19. Estavam presentes na coletiva o secretário Osnei Okumoto, Paulo Ricardo Silva, diretor-presidente do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do DF (Iges-DF) e Petros Sanchez, secretário adjunto de Assistência à Saúde.

De acordo com o secretário Osnei Okumoto, a desmobilização dos leitos de UTI vai se basear em 3 critérios. “Nos baseamos em media de mortos, taxa de transmissão e taxa de ocupação de leitos de UTI. Com isso, vamos fazer a desmobilização gradual e responsável pra ter tranquilidade e leitos disponíveis para emergências”, disse.

Okumoto lembrou que a taxa de ocupação dos leitos de UTI se encontra em 60,71%, o que ele classificou como “confortável”. O secretário afirmou ainda que o governador, Ibaneis Rocha, tem ciência da desmobilização. “O governador tem conhecimento do plano, estudou durante a noite e validou o planejamento”, disse Okumoto.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O médico e secretário adjunto de Assistência à Saúde, Petros Sanchez, ressaltou que o planejamento é autêntico e que vai ter como pilares a conversão de leitos de covid para não covid, a reversão do atendimento e devolução de leitos contratados para a pandemia. “Essa desmobilização é para ter uma retaguarda de leitos para outros pacientes”, afirmou.

Segunda onda de transmissão

“Não esquecemos que a covid tem comportamentos distintos. […] Há uma possibilidade de remobilização se tivermos necessidade”, disse Petros Sanchez. Isso foi o que o secretário adjunto disse quando foi perguntado sobre a possibilidade de uma segunda onda de contágio.

O secretário de Saúde do DF, Osnei Okumoto, lembrou que um dos critérios do plano foi estudar a taxa de transmissão. Segundo ele a taxa varia de 0,82 até 1, o que é baixo comparado com o início da pandemia.

Leitos de UTI

De acordo com o secretário, o DF conta com 580 leitos de covid com ventilação mecânica. “Com a primeira etapa, 71 leitos serão desmobilizados. A cada 14 dias terá uma avaliação para ver se é possível desmobilizar mais leitos”, afirmou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade