Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Chegaram aparelhos digitais de radiografia odontológica na Saúde

Objetivo é tornar o atendimento mais rápido e preciso. Uso dos equipamentos também ajuda a diminuir gastos, além de contribuir com o meio ambiente

Publicado

em

PUBLICIDADE

Da Redação
redacao@grupojbr.com

A Secretaria de Saúde (SES) adquiriu aparelhos digitais de radiografia odontológica e os distribuiu nos locais que são referência nesse atendimento. A espera pela revelação da radiografia já não existe mais no atendimento odontológico de oito unidades de saúde do DF. A digitalização confere maior agilidade ao diagnóstico e aos tratamentos. ​

“A aquisição desses novos equipamentos digitais foi uma grande conquista para esse serviço da secretaria, que vai possibilitar a realização de procedimentos de forma mais célere”, resume o gerente de odontologia da SES, Maurício Bartelle. “Com o tratamento acontecendo de forma mais rápida, mais pessoas terão acesso ao atendimento.”

Foram investidos R$ 597.173,28 na aquisição desses conjuntos. Os novos equipamentos já estão em uso no Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib), na Gerência de Apoio à Saúde da Família 11 de Ceilândia, no Centro de Especialidade Odontológica da 712/912 Sul, na Policlínica de Taguatinga, na Central Radiológica de Taguatinga e nos hospitais regionais de Ceilândia, Sobradinho e da Região Leste.

Com a digitalização, o processo da captura da imagem não precisa mais passar por revelação, pois a imagem já é enviada para o computador. Assim, além de o tratamento e o diagnóstico serem mais rápidos, o paciente reduz sua exposição à radiação.

Agilidade

 “Um tratamento que durava uma manhã inteira, agora conseguimos fazer em uma hora”, destaca a responsável técnico-administrativa do Centro de Especialidade Odontológica de Sobradinho, Heloisa Sirimarco. “Essa nova tecnologia é mais ágil para o profissional, que ganha tempo e maior qualidade nas imagens.”

Além dos benefícios para os pacientes, os profissionais também têm ganhos, como a menor exposição a produtos químicos, a melhoria das condições do serviço a ser executado e o aumento da eficiência nos processos de trabalho.

Outra vantagem é a economia para administração pública. Há uma redução de valores na compra e na manutenção dos equipamentos, bem como diminuem os gastos com reveladores e fixadores. O meio ambiente também lucra, pois não haverá descarte de material. Também não será necessário fazer uso de filmes, substituídos por um sensor que pode ser reutilizado em mais de dois mil atendimentos.

Com informações da Agência Brasília.


Você pode gostar
Publicidade
Publicidade
Publicidade