fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Centros Olímpicos e Paralímpicos entram na era tecnológica

Unidades esportivas começaram a receber equipamentos e sistema que vai facilitar atendimento e armazenagem de informações dos alunos

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

A modernização tecnológica chegou aos Centros Olímpicos e Paralímpicos (COPs) do Distrito Federal. As 12 unidades esportivas começaram a receber o novo sistema desenvolvido pela Tecnologia da Informação da Secretaria de Esporte e Lazer e, também, computadores que serão essenciais para o avanço na configuração de atendimento e armazenagem de informações dos alunos. A solenidade que marcou o início da entrega ocorreu nesta quinta-feira (19), na unidade esportiva do Riacho Fundo I.

Além da internet, que já está instalada, serão 80 aparelhos a serem distribuídos entre todos os centros esportivos, de acordo com a demanda. O processo, que antes era completamente manual, agora vai funcionar digitalmente, agilizando a efetivação de novas matrículas e produção de uma base de dados de cada região administrativa atendida pelos centros. Dessa forma, será mais simples identificar as modalidades mais solicitadas em cada localidade e necessidade de mais vagas.

“A área administrativa dos COPs nunca teve acesso à internet. Com a mudança, vamos possibilitar uma comunicação mais ativa entre o corpo técnico das unidades, a Secretaria de Esporte e Lazer e os alunos. Estamos fazendo o mais importante: entregar serviço de qualidade para a população. Quem quiser praticar uma modalidade vai ter possibilidade para isso. E isso vai aumentar a procura, já que as pessoas poderão fazer suas matrículas na internet de casa”, explica a secretária de Esporte e Lazer, Celina Leão.

Pedagogia

A informatização também facilitará o acesso de organizações e projetos sociais e esportivos à estrutura física dos COPs. A previsão é, que até o fim do mês, os computadores sejam instalados em todos os Centros Olímpicos e Paralímpicos. a secretaria está realizando novos chamamentos públicos para a seleção de entidades aptas para gerirem a parte pedagógica das unidades, em parceria com o GDF. Com isso, o número de pessoas atendidas pode chegar a 70 mil sem custos no contrato.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Tudo hoje é voltado para informação, não tem jeito. O sistema de papel está acabando e a secretária, em poucos meses à frente do Esporte, já implantou a internet e não só isso. Além disso, estamos com computadores de qualidade e de ponta. Temos projetos sociais em andamento que começarão em breve”, destaca o administrador do COP do Riacho Fundo I, Geraldo Wagner Sílvio Alquimim.

As informações são da Agência Brasília




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade