fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

CBMDF produz 200 litros de álcool para presídios

O material será produzido de acordo com a demanda do CBMDF, enquanto durar a pandemia do novo coronavírus no Distrito Federal

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Por meio de uma parceria firmada com um laboratório farmacêutico, o Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) passou a produzir álcool etílico 70% e álcool glicerinado – que substitui o produto em gel – para serem distribuídos em todos os batalhões. Para contribuir com o abastecimento do material necessário para assepsia e combate ao novo coronavírus no Sistema Penitenciário, a corporação produziu 200 litros dos dois tipos de álcool para as unidades prisionais.

“Estamos diante de uma crise e precisamos unir esforços e buscar soluções. Solicitei ao comandante-geral do CBMDF, que prontamente atendeu e se colocou à disposição para ajudar. A integração dos órgãos de Segurança se faz em todas as situações”, contou o secretário de Segurança Pública, delegado Anderson Torres.

Para a comandante do Centro de Comunicação Social da corporação, tenente-coronel Daniela Ferreira, contribuir com a Segurança Pública é primordial. “A dificuldade de encontrar álcool no mercado nos motivou a buscar outras alternativas e chegamos à nossa própria produção de álcool. Essa ação nos possibilita suprir a demanda interna do CBMDF e, ainda, colaborar com outros órgãos da SSP, que por ventura necessitem desses produtos”.

Início da produção

Com a escassez do álcool para assepsia de viaturas e uso dos militares, o comandante do 22º Grupamento Bombeiro Militar, tenente-coronel Rissel, que tem formação em química, passou a buscar alternativas e aplicar seu conhecimento na área.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Somente na última semana, 600 litros dos produtos foram encaminhados aos batalhões. “Foram várias tentativas, pensei em estratégias para chegar ao produto final, mas o produto que se mistura ao álcool para dar a viscosidade está em falta, o Carbopol. Passamos a produzir o álcool glicerinado, recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para substituição do álcool em gel 70%”.

Antes de iniciar a produção, a equipe do CBMDF realizou uma visita técnica aos laboratórios da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), que passou a realizar a análise química de nossos insumos.

A produção do álcool seria feita no laboratório de química do CBMDF, mas, por meio de uma parceria, um laboratório farmacêutico local também se uniu ao projeto e assumiu a etapa da produção do álcool para a corporação.

“Fornecemos todos os insumos ao laboratório. Por conta da situação pandêmica, a Anvisa liberou, em caráter excepcional, a produção de álcool por estes laboratórios. Centralizamos nossos esforços na logística, na distribuição e no controle do produto final”, disse o tenente-coronel.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O material será produzido de acordo com a demanda do CBMDF, enquanto durar a pandemia.

Agência Brasília




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade