Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Casal que perdeu filha e neta em acidente faz campanha por doação de sangue



Uma única doação de sangue pode salvar quatro vidas. E como doar é um ato de amor, entre esta quinta-feira (16) e sábado (18), a campanha Doando Vida em Nome de um Amor Eterno – Rafa e Clara mobiliza a cidade pela causa. Aliada ao Hemocentro, a iniciativa faz um chamado à doação.

O atendimento aos doadores será feito no Hemocentro, das 7h as 18h, na quinta e sexta-feira da campanha. No sábado (18), das 8h às 18h, a 5ª edição dessa mobilização também arrecadará brinquedos, alimentos não perecíveis e livros infantis para as crianças da região da Cidade Estrutural, incluindo a Chácara Santa Luzia. O Hemocentro fica no Setor Médico Hospitalar Norte, Quadra 3, conjunto A.

Campanha Doando Vida em Nome de um Amor Eterno. Foto: Divulgação

A campanha Doando Vida em Nome de um Amor Eterno – Rafa e Clara ocorre sempre em agosto e é organizada por Henrique e Luciana Andrade, casal que perdeu filha Rafaela e neta Clara em um acidente de carro no Canadá, em 2013. Eles contam com a ajuda de amigos e familiares para realizar, anualmente, essa corrente do bem, que começou exatamente um ano depois da morte de Rafa (26) e de Clarinha (2), na província canadense de Saskatchewan.

“A nossa pequena Clara não faleceu de imediato. Ela precisou passar por cirurgias e por transfusões de sangue. Sentimos na pele essa dificuldade”, revela Luciana Andrade. Mesmo depois de todos os esforços médicos, Clarinha teve morte cerebral. “Foi aí que percebemos que poderíamos ajudar a evitar que outras famílias passassem pela dor que passamos. Inconscientemente, começamos a campanha que fazemos todos os meses de agosto em Brasília nesses dias de muita dor e sofrimento”, completa Henrique Andrade.

Fazendo o bem

Desde o primeiro ano da campanha Doando Vida em Nome de um Amor Eterno – Rafa e Clara, em 2014, foram feitas quase 150 doações de sangue. Para a Fundação Hemocentro de Brasília, iniciativas como essa são fundamentais para que bancos de sangue consigam manter os estoques estáveis e disponíveis para atender às pessoas que necessitam do componente.

As doações de alimentos e brinquedos recebidas na primeira edição da campanha levaram o casal a conhecer a realidade da região da Estrutural. A corrente do bem prosperou, foi além de entregar donativos a uma das regiões mais carentes do DF.

Campanha Doando Vida em Nome de um Amor Eterno. Foto: Divulgação

Em julho passado, Henrique, Luciana e o grupo de amigos e familiares que se uniram para motivar a doação de sangue em Brasília abriram as portas do Instituto Doando Vida Por Rafa e Clara. Na primeira unidade da ONG, o Centro de Convivência Doando Vida, são atendidas 48 crianças de 2 a 5 anos que vivem em situação de extrema vulnerabilidade social. Os pequeninos passam o dia no centro de convivência, onde recebem alimentação, educação, cuidados e amor.

“Tudo o que recebermos de alimentos, livros e brinquedos será direcionado ao Centro de Convivência. O que não conseguirmos aproveitar lá, será redirecionado aos necessitados na Chácara Santa Luzia”, adianta Luciana. Mais informações sobre a ONG no site.

Condições básicas para a doação de sangue

· Ter entre 16 e 69 anos de idade (menor de 18 anos deve apresentar o formulário de autorização e cópia do documento de identidade com foto do pai, mãe ou tutor/guardião);

· Pesar mais de 51 quilos e ter IMC maior ou igual a 18,5 (descontar o vestuário);

· Não estar em uso de medicamentos;

· Apresentar documento oficial com foto (original ou cópia autenticada em cartório), em bom estado de conservação e dentro do prazo de validade. Documentos aceitos: carteira de identidade, carteira de trabalho, certificado de reservista, carteira nacional de habilitação, passaporte, carteira profissional emitida por classe ou carteira do doador da FHB. Não são aceitos crachás funcionais nem carteiras estudantis;

· Dormir pelo menos seis horas, com qualidade, na noite anterior à doação;

· Não ingerir bebida alcoólica nas 12 horas anteriores à doação;

· Não fumar duas horas antes da doação.

Pedro Ventura/Agência Brasília

Importante:

· O candidato à doação será avaliado por profissionais de saúde para verificar se está apto a doar.

· Seja sincero ao responder as perguntas feitas durante a triagem! Não omita informações importantes, pois disso depende a segurança do doador e do receptor.

Alimentação

Nada de jejum! É importante estar bem alimentado para doar sangue, assim como beber bastante água desde o dia anterior à doação. Fique atento a algumas precauções:

· Pelo menos três horas antes da doação, evite alimentos gordurosos, como açaí, abacate, leite e seus derivados (queijo, iogurte, manteiga…), massas, frituras, ovos, maionese, sorvete, chocolate, etc.

· Se preferir doar depois do almoço, aguarde duas horas após ter se alimentado. O almoço deve ser leve, com carnes grelhadas, saladas, arroz e feijão sem carnes.

Mais informações referentes à doação no site do Hemocentro.

Você pode gostar
Publicidade
Publicidade
Publicidade