fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Cartão Prato Cheio: programa cresceu 280% em sete meses

De acordo com a secretária de Desenvolvimento Social a alta procura pelo benefício foi motivada pela situação econômica do País

Catarina Lima

Publicado

em

Fotos: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília
PUBLICIDADE

Até o final deste ano a secretaria de Desenvolvimento Social do Distrito Federal desembolsará R$ 38,5 milhões com o pagamento do Cartão Prato Cheio. O benefício consiste na disponibilização R$ 250 reais num cartão habilitado na função débito, para compra de alimentos. Antes da pandemia oito mil cestas eram distribuídas para as famílias em situação de insegurança alimentar no DF. Em maio, em virtude da pandemia de covid-19, foi lançado o Prato Cheio, que em sete meses teve um crescimento de 280%. No dia 03 de novembro 31.040 assistidos receberam o benefício. No entanto, 28 mil famílias estão à espera de integrar o programa, que hoje é o mais abrangente auxílio assistencial do DF.

O valor gasto com o pagamento da ajuda assistencial em novembro foi de R$ 7,7 milhões. De acordo com a secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha, a alta procura pelo benefício foi motivada pela situação econômica do País, agravada pelo coronavírus. “O GDF não tinha previsão orçamentária para esse número de benefícios, mas desde então as áreas econômica e social do governo estão trabalhando para atender o maior número de famílias”, disse a secretária.

O maior repasse dos cofres do GDF para o Cartão Prato Cheio foi no mês de junho, no valor de R$ 10,4 milhões; em julho foram gastos R$ 6,3 milhões e em agosto R$ 6,9 milhões. Nos meses de setembro e outubro, os repasses foram de R$ 7,1 e R$ 7,7 milhões, respectivamente.

O auxílio é destinado às famílias que já fizeram a requisição da cesta de alimentos em alguma unidade do Centro de Referência da Assistência Social (Cras), do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) ou pelo teleatendimento durante esse período da pandemia de coronavírus. Têm direito ao benefício as famílias residentes no DF com renda per capita igual ou inferior a meio salário-mínimo (R$ 522,50) e que se declarem em situação de insegurança alimentar. O cartão pode ser concedido juntamente a outros benefícios socioassistenciais, como o Bolsa Família e o DF sem Miséria, desde que a família atenda os critérios de elegibilidade.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Critérios para novas inclusões

Para a inclusão de novos beneficiários o governo estuda dar prioridade às famílias monoparentais, chefiadas por mulheres, com crianças de zero a seis anos de idade; famílias com pessoas com deficiência; com idosos; e pessoas em situação de rua. “Temos que lembrar que o Cartão Prato Cheio não é um beneficio de transferência de renda, é um auxílio de caráter emergencial, para atender uma necessidade momentânea de insegurança alimentar”, enfatizou a secretária.

Até o final de outubro, 3.717 pessoas não haviam retirado seus cartões nas agências do BRB. “Temos famílias que procuraram nossas unidades de atendimento solicitando o benefício e que na verdade estão sem receber por não terem retirado seus cartões nas agências bancárias. Para saber em qual agência bancária encontra-se o seu cartão, o beneficiário pode acessar o portal www.rendaemergencial.brb.com.br ou tirar dúvidas pelo whatsapp do número (61) 99451-2943.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade