fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

“Brasília em linhas” chega ao Espaço Lúcio Costa

Mostra é composta por desenhos e pinturas do artista gráfico maranhense Jailson Belfort, radicado na capital

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

O Espaço Lúcio Costa recebe nesta sexta-feira (4) a exposição “Brasília em Linhas”, composta por desenhos e pinturas do artista gráfico maranhense radicado na capital Jailson Belfort. Em função dos protocolos de segurança em relação a Covid-19, a visitação está restrita a 15 pessoas por vez no salão, de segunda a sexta, das 09h às 15h.

Desde o dia 18 de setembro, os museus da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec) voltaram a funcionar gradualmente, seguindo rígidas prescrições definidas pela Portaria 179. Em todos, os visitantes precisam usar máscaras e sapatilhas descartáveis (quando o piso é acarpetado) e passam por medição de temperatura e higienização com álcool gel. “Fizemos um estudo meticuloso, criamos um protocolo específico, de forma que a segurança dos servidores e dos visitantes fossem preservadas”, conta o secretário Bartolomeu Rodrigues.

Traços monumentais em canetas esferográficas

Situado no centro político de Brasília, o Espaço Lucio Costa, que integra o Centro Cultural Três Poderes, recebe 60 desenhos e pinturas de Jailson. Feitos com canetas esferográficas, medindo 42 x 30 centímetros. Em cores vivas, as obras denotam um olhar de admiração para a capital brasileira no diálogo estético entre o céu e os monumentos da cidade.

“Brasília em Linhas” promete fazer visitantes refrescarem o olhar para as formas de monumentos da capital. As peças, produzidas com canetas esferográficas, criando retas e curvas a mão livre, revelam influência, em técnica e criatividade, do artista gráfico holandês M. C. Escher (1889-1972) e seus traços geométricos. “É um privilégio fazer uma exposição em homenagem aos 60 anos de Brasília com obras voltadas para os monumentos patrimoniais da nossa capital”, diz ele.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Sobre a utilização de canetas esferográficas no lugar de pincéis e tinta, Jailson diz que “o fato de a caneta ser um instrumento do dia a dia, usado para escrever, torna surpreendente que com ela a gente também possa fazer arte. Acho desafiador e prazeroso”.

Influência de Daniel Azulay

Jailson começou a desenhar na infância, fã do apresentador de TV e ilustrador Daniel Azulay (1947-2020). Formado em design pela Universidade Federal do Maranhão, trabalhou com publicidade e propaganda, atuando como designer gráfico, ilustrador e diretor de arte, na criação de peças publicitárias, logos e identidade visual. Também tem experiência na área de criação, projeto gráfico e diagramação de revistas e jornais.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Simone Soares, doutora em Antropologia pela Universidade de Brasília (UnB), assina o texto de apresentação da mostra, onde anota que “lugares e monumentos marcantes da capital federal são homenageados nesta mostra artística de abordagem criativa”. Sobre a viagem cromática, diz que “a cor viva representa o céu icônico da cidade. A neutra revela detalhes do monumento, num efeito que brinca com os elementos de luz, sombra, figura, fundo e ângulos”.

Serviço:

Visitação: sexta a domingo, das 09h às 15h.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Lotação do salão: 15 pessoas. Completada a capacidade, será formada fila de espera.

Observação: obrigatórios o uso de máscara e propé no carpete. Será feita medição de temperatura e disponibilizado álcool gel.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
>

Telefone para dúvidas: (61) 98355-9870.

E-mail: [email protected]

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Brasília em Linhas”

Desenhos e pinturas do artista gráfico Jailson Belfort

Abertura: dia 04/12, sexta-feira

Endereço: Praça dos Três Poderes

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Entrada gratuita

As informações são da Agência Brasília




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade