Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Bandidos são presos após ‘sequestrar’ cadela e pedir resgate em Sobradinho

Publicado

em

PUBLICIDADE

Ana Karolline Rodrigues
ana.rodrigues@grupojbr.com

Uma cadela foi resgatada pela Polícia Militar do DF um dia após ser ‘sequestrada’ por três homens em Sobradinho. Na madrugada do último domingo (3), Pistolinha, como é chamada, foi roubada na casa de seus donos, no condomínio RK, pelos criminosos que pediram R$ 1.600 para o resgate. Não imaginando, porém, que o animal da raça buldog francês possuía um chip de rastreamento implantado, Jonathan Caetano da Silva, 21 anos, e Antônio Cícero Pereira da Silva foram presos na segunda-feira (4) e encaminhados para a 13ª DP. Agora, eles respondem pelo crime em liberdade. Apesar de ainda não ter sido detido, ainda há um terceiro suspeito, Danilo Maia, 25 anos, um amigo de Jonathan, que já tinha ocorrência na polícia por um caso parecido. Ele segue sendo investigado.

De acordo com o delegado-chefe da 13ª Delegacia de Polícia, Hudson Maldonado, a cadela Pistolinha foi furtada um pouco depois da meia noite do domingo, quando Antônio Cícero pulou o muro e entregou o animal para Jonathan. Enquanto Jonathan assumiu a autoria do furto e indicou como comparsa Antônio Cícero, Danilo alegou aos policiais que não participou do crime e que Jonathan havia lhe dito que tinha trocado o cachorro por uma televisão.

“O celular do Jonathan e do Danilo foi apreendido, porque parece que eles compartilham. Nele, há fotos e vídeos de negociação de alguns cães. Então já vamos investigar se é uma quadrilha que sequestra cachorros, se é algo maior”, diz o delegado. “O Danilo não tem passagem, mas tem uma ocorrência em que uma pessoa afirma que ele não devolveu um cachorrinho que pegou emprestado”, completou.

Sequestro

Segundo o dono do animal, Wilson Mendes, 27 anos, a cadela geralmente fica solta na garagem da casa – onde foi sequestrada -, mas nenhum vizinho testemunhou o crime. “Apenas no dia seguinte acordamos e sentimos falta dela lá. Então pegamos imagens do circuito interno de câmeras e os seguranças já identificaram quem era por eles já terem um histórico”, contou. O dono de Pistolinha ainda afirmou que sabe que a mãe e o irmão de Danilo tem residência no condomínio em que mora, mas que o rapaz não pode entrar no local. “A segurança me informou que ele inclusive é proibido entrar lá por causa desse histórico dele”, afirmou.

Confira os vídeos do homem pulando o muro da casa e levando a cachorrinha:

Para Wilson, inicialmente esta situação era inédita. “Eu mesmo nunca ouvi falar de nada parecido, mas depois disso fiquei sabendo de três casos. É extremamente recorrente”, disse. Segundo ele, devido a casos de roubos de animais já terem ocorrido no local onde mora, ele conseguiu conversar com um morador que lhe informou uma forma de conseguir resgatar o animal de estimação.

“Ele me falou que passou pelo mesmo processo e que fez uma faixa lá no condomínio. Então fiz a mesma coisa e fiz um anúncio também em um grupo que eu sabia que um deles estava. Logo depois já entraram em contato comigo pedindo por R$ 1.600”, narrou. “Com ajuda da Polícia Civil, a gente conseguiu acesso ao GPS e conseguimos rastreá-la na segunda. Quando achamos, a polícia já foi fazer o resgate. O GPS foi fundamental para pegarmos eles”, completou.

Chegando no local indicado pelo rastreador, em Sobradinho II, policiais encontraram Jonathan e Danilo, que ainda tentaram se esconder. Um entrou no armário do banheiro e outro ficou embaixo da cama. A casa era da tia de Jonathan. À reportagem, o delegado Maldonado explicou que como já havia passado de 24h do crime, a prisão dos mesmos não pôde ser feita em flagrante, mesmo que os criminosos tenham sido encontrados com o animal durante o resgate.

Segundo ele, o grupo continua sendo investigado e, pelo crime de furto qualificado, os dois homens detidos podem pegar de 2 a 8 anos de reclusão, podendo ter ainda a pena aumentada. “São duas qualificadoras: a escalada do muro e o fato do crime ter sido cometido por duas pessoas e durante o período noturo. Por isso a pena pode ainda ser aumentada. Não é porque foi uma cachorrinha que é besteira. Isso ainda é um crime grave”, ressaltou.

Wilson Mendes e sua cadela, Pistolinha.

 

 


Você pode gostar
Publicidade
Publicidade
Publicidade