fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Avaliação de resíduos será feita pela campanha Cartão Verde

Os garis vão avaliar qualidade da separação com cartões verdes, amarelos e vermelhos

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

A prática da coleta seletiva já está de volta em quase todo o Distrito Federal. Porém, em muitas das localidades, a separação dos resíduos ainda é  de baixa qualidade, com muitos resíduos secos e orgânicos misturados. Isso compromete o processo de reciclagem dos materiais. Como objetivo de conscientizar a população e incentivar o importante hábito de separar os lixos, o Serviço de Limpeza Urbana (SLU) começou nesta semana a campanha Cartão Verde.

As equipes de mobilização das empresas de limpeza urbana já estão nas ruas para orientar e avisar moradores sobre o início da campanha. Nesta quinta e sexta-feira, eles visitaram residências e condomínios do Noroeste, Gama e em Ceilândia, regiões que servirão como piloto nesta primeira etapa da campanha. A próxima etapa começa na segunda-feira, dia 28, quando os garis, na hora da coleta seletiva, irão avaliar a qualidade da separação dos resíduos e adesivar os contêineres e lixeiras com cartões verdes, vermelhos ou amarelos.

“Se no contêiner houver pelo menos 90% de material reciclável, recebe cartão verde. Se houver separação parcial, recebe cartão amarelo. Se não estiver acontecendo a separação devida, será colado um cartão vermelho. A ideia é fazer uma campanha lúdica, com as cores dos cartões utilizados no esporte, para que as pessoas sejam alertadas e incentivadas a fazer a separação correta”, explicou a coordenadora de Mobilização do SLU, Luana Sena.

Os contêineres e lixeiras serão adesivados uma vez por semana, por três semanas. Ao término desse prazo, o DF Legal será acionado para notificar as residências e condomínios que tiverem recebido três cartões vermelhos. A Resolução nº 21 da Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico (Adasa) regulamenta o descarte de resíduos no DF e atribui ao usuário a responsabilidade de separar e acondicionar adequadamente os resíduos sólidos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“A multa pode variar de R$ 500 a R$ 2 mil. Inicialmente, vamos notificar aquelas unidades que receberam três cartões vermelhos. A ideia é conscientizar. Daremos um prazo para uma nova adequação e, se continuarem descumprindo a lei, vamos multar”, explicou o coordenador de fiscalização do DF Legal, Rildo Wagner.

O coordenador de mobilização da empresa Sustentare, Max Alves, afirmou que a maioria dos moradores de Ceilândia recebeu bem a visita das equipes. “Muitos já colaboram e fazem corretamente a separação. Alguns reclamaram da questão da multa, mas a gente explicou que quem fizer corretamente o trabalho de separação, não vai ter problema. Tiramos dúvidas das pessoas e falamos sobre a importância da reciclagem da perspectiva ambiental e também social, pois gera renda para centenas de famílias de catadores”.

Como separar os resíduos

Separar os resíduos recicláveis é uma questão de hábito. Deve-se utilizar dois sacos: um para recicláveis e outro para orgânicos e rejeitos. No primeiro, de preferência da cor verde ou azul, devem ser colocados papel, papelão, plástico, isopor e metal. No outro saco, de preferência preto ou cinza, para o material orgânico e rejeitos, vão os restos de comida, borra de café, fralda descartável, papeis gordurosos e lixo de banheiro. Condomínios residenciais devem colocar seus resíduos em contêineres nas cores verde para coleta seletiva e cinza para coleta convencional;

Tão importante quanto separar, é entregar os recicláveis para a coleta no dia certo, conforme calendário disponível no site do SLU.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Informações da Agência Brasília




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade