fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Áudio: coronel critica beijo gay em formatura de PMs: ‘avacalhação’ e ‘frescura’

Coronel da reserva da PMDF criticou demonstrações de afeto de casais homossexuais. Comissão de Direitos Humanos pede investigação

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Uma semana após a Polícia Militar (PMDF) formar mais de 700 novos policiais que devem prezar pela segurança da população da capital federal em breve, um homem identificado como coronel da reserva da corporação fez comentários de cunho homofóbico sobre policiais homossexuais.

O coronel falou sobre casais gays que se beijaram no evento e classificou as demonstrações de afeto como ‘avacalhação’ e ‘frescura’.

“Aquela avacalhação, aquela frescura, poderia ser evitada”, afirma, em parte do áudio. “Poderiam continuar com a vida deles, ser felizes, mas sem afrontar a nossa corporação”, completa. Ouça:

Ao portal G1, o coronel confirmou que enviou o áudio a um grupo de WhatsApp. No entanto, preferiu não se pronunciar a respeito.

Após a divulgação do caso, o deputado distrital Fábio Felix (Psol), em nome da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), pediu apuração dos fatos à PM. Felix também solicitou que sejam adotadas medidas para proteger os direitos fundamentais dos policiais que foram alvos das críticas.

“A transcrição do áudio pode configurar o crime de homofobia, a princípio. Isso porque ela revela desprezo aos policiais homossexuais pela simples circunstância de serem homossexuais'” diz o documento.

A Polícia Militar se pronunciou sobre o caso. Por meio de nota, informou que “não coaduna ou apregoa quaisquer tipos de preconceito”, e que os áudios representam opinião pessoal do policial.

A corporação afirmou também que “a ética e o pundonor policial militar são preceitos basilares da Corporação, aos quais os policiais militares estão sujeitos, independentemente de cor, sexo, etnia, religião ou opção sexual.”


Leia também
Publicidade