Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Após ataque de fúria no DF, travesti tem prisão decretada e é considerada foragida

Publicado

em

Publicidade

Um dia após ter sido beneficiada com liberdade provisória, a travesti que teve um ataque de fúria em um shopping no Riacho Fundo, na última terça-feira (14), teve a prisão decretada. De acordo com a juíza do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) Verônica Capocio, a medida foi tomada após a acusada descumprir acordo judicial. Agora, ela é considerada foragida.

A travesti foi detida após resistir à prisão e agredir policiais militares que tentavam contê-la durante ataque de fúria. Na ocasião, ela chegou a quebrar três veículos e uma viatura do DER com um barra de ferro. Imagens registraram o momento e viralizaram rapidamente nas redes sociais.

Leia mais: Vídeo: travesti destrói carros, resiste à prisão e confronta PMs no DF

Travesti que destruiu carros usará tornozeleira eletrônica

Publicidade

Em audiência de custódia nessa quarta-feira (15), a travesti teve a liberdade concedida sob a condição de, até as 9h, apresentar o comprovante de pagamento da fiança, estipulada no valor de R$ 1 mil, ao Núcleo de Audiência de Custódia (NAC) e colocar tornozeleira eletrônica. Como não apareceu, ela perdeu o direito a liberdade provisória.

Relembre o caso

Populares que passavam pelo shopping Riacho Mall, no Riacho Fundo I, nesta terça-feira (14), foram surpreendidos com troca de agressões entre policiais militares e uma travesti, praticamente nua. Testemunhas registraram a ação e os vídeos rapidamente viralizaram nas redes sociais.

Nas imagens é possível ver a travesti agredir um militar com chutes após ser contida. O PM reage às agressões e dá um “mata-leão” nela, que é colocada à força no camburão. No interior do veículo, a travesti chuta os vidros da viatura. Um outro vídeo mostra o momento em que policiais jogam spray de pimenta nela.

Procurada pela reportagem do JBr., a Polícia Militar informou detalhes da ocorrência. Na versão da corporação, a travesti, visivelmente alterada, tentou entrar no carro de um homem que passava pelo local. Os dois começaram a discutir e, armada com uma barra de ferro, ela quebrou o carro do rapaz. Em seguida, destruiu outros dois veículos que estavam estacionados no shopping. Uma viatura do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) também foi danificada pela travesti.

A ocorrência foi registrada na 27 ª Delegacia de Polícia, no Recanto das Emas, onde, segundo a corporação, a travesti chamou os militares “macaco” e cuspiu na cara do delegado, além de tentar agredi-lo. Ela foi autuada por dano ao patrimônio público e privado, injúria racial e desacato.


Você pode gostar
Publicidade