fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Alunos recebem 20 computadores doados

Estudantes da Escola Classe Aspalha, do Núcleo Rural Jerivá, ganharam os aparelhos para auxiliar nos estudos durante a pandemia da covid-19

Pedro Marra

Publicado

em

Foto: Álvaro Henrique, Ascom/SEE-DF
PUBLICIDADE

A Coordenação Regional de Ensino do Plano Piloto (CREPP) arrecadou 200 aparelhos eletrônicos desde o início da pandemia do novo coronavírus no Distrito Federal para doar a jovens alunos da rede pública para que tenham acesso às aulas online. Ontem, os primeiros a receberem 20 computadores foram os estudantes da Escola Classe Aspalha, do Núcleo Rural Jerivá, no Lago Norte.

A auxiliar de serviço gerais, Danielle Avelino da Cruz, 34 anos, é uma das mães que vibrou com a doação. Mãe de Yuri, Nicolly e Ruan, ela acredita que agora os filhos terão como estudar mais adequadamente com o computador.

“Era um celular para os três. E este computador vem para ajudar muito porque eu trabalho e chego tarde, sem poder ajudá-los. Para eles mexerem no computador fica meio complicado. Então um vai poder usar um pouco, e o outro também”, comenta.

“Estou sem palavras. Antes era meio complicado da gente usar o celular para fazer os deveres. Aí chegou o computador e vamos conseguir fazer as tarefas tranquilo”, alegra-se Nicolly Avelino Santos, 15 anos, aluna do 8º ano do ensino fundamental.

Um computador para sete alunos

A empregada doméstica Kelly Trindade Santos, 36 anos, mora na região com os sete filhos junto do marido. Entre eles, quem recebeu o computador foi o jovem Ramon, de 11 anos, aluno do Centro Educacional do Lago Norte (Cedlan). Mas, pelo que conta a mãe, o aparelho vai servir para a família toda.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Eles já estavam sabendo que poderiam ganhar um computador, mas não tinham certeza. O sorriso foi de canto a canto, mesmo com a máscara. Esses meus sete filhos não me dão dor de cabeça, e esse computador chega numa hora muito boa, porque só os mais velhos têm celular, os mais novos não. Vindo o computador, facilita muito. Vai ser de bom proveito nesta pandemia para eles estudarem, e ainda mais porque não pretendendo deixar meus filhos irem a escola presencialmente neste momento”, afirma Kelly.

Kelly conta que seus filhos se esforçam para estudar como podem, sendo que quatro dos mais velhos – entre 14 e 19 anos – compartilham os próprios celulares para o estudo dos demais. “Uma vez na semana, pegávamos uma folha impressa para eles fazerem os deveres da semana. Alguns deram para fazer pelo celular, mas por conta das letras miúdas ficava difícil deles se concentrarem. Então a gente até emprestava o nosso celular para facilitar. Vai ser bom porque eu não consigo ficar 24 horas com eles. E os mais velhos também ajudam os mais novos a mexerem. Mas nem tudo vai ser só no computador. Praticamos a leitura e atividades impressas. O computador vai ser um auxílio com o uso das plataformas de educação”, comemora a mãe.

“Manutenção do hábito de estudo”, diz diretora

Segundo a diretora da Escola Classe Aspalha, no Núcleo Rural Jerivá, Aline Furtado, foram cedidos 20 computadores aos alunos da instituição. “São estudantes em estado de vulnerabilidade social que dividem o celular dos responsáveis entre si. Então essa doação representa a possibilidade da manutenção do hábito de estudo, acesso às plataformas oficiais de ensino em horário adequado, pois com a divisão dos celulares eles acessam de madrugada ou à noite. É uma possível minimização da diferença ao acesso a tecnologia como ferramenta educacional”, opina Aline.

A diretora coordena jovens do 1º ao 5º ensino fundamental, entre 6 e 12 anos. A unidade de ensino conta com 221 estudantes matriculados, sendo que 119 não contam com nenhum dispositivo para acessar a internet.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os aparelhos foram arrecadados por meio da Campanha Solidária em parceria com a Rede Marista. Por causa da pandemia do novo coronavírus, o trabalho contou apenas com as presenças do coordenador da regional, professor Júlio César Sampaio, do diretor do Marista da Asa Sul, Rony Ahlfeld, e da própria diretora da Escola Classe Aspalha, Aline Furtado. Ao longo da entrega dos itens às crianças, foram adotadas as recomendações de proteção como distanciamento mínimo entre as pessoas, uso de máscaras e de álcool gel.

“É gratificante ver que alunos carentes estão recebendo esses equipamentos, e que vão, a partir de agora, poder acessar as salas de aula virtuais. Essa parceria da regional de ensino com o setor privado tem sido muito gratificante. Cada entrega é uma emoção diferente, você vê nos olhos dos pais. É o início de uma campanha que vai perdurar por muito tempo. Por isso, faço um apelo para quem tiver um aparelho, puder doar. Estamos com as portas abertas para recebê-los. Alguns defeitos conseguimos consertar e entregar em perfeito funcionamento para o aluno”, declara o coordenador da Regional de Ensino do Plano Piloto, Júlio Cesar Sampaio.

A partir de agora, o restante das doações irão para outras 50 escolas da CREPP.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade