fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Alunos desenvolvem inovações de acessibilidade para pessoas com deficiência

Três projetos se destacaram por apresentar produtos que facilitam o dia a dia de pessoas com diferentes tipos de deficiência

Avatar

Publicado

em

Foto: Divulgação/SENAI
PUBLICIDADE

Inovação e design são grandes aliados da inclusão de pessoas com deficiência, desde a escola até o mercado de trabalho. Estudantes defenderam, na última edição do Inova SENAI, projetos de inovação desenvolvidos em sala de aula, três projetos se destacaram por apresentar produtos que facilitam o dia a dia de pessoas com diferentes tipos de deficiência.

1. Brinquedo para aprender matemática

Ensinar matemática para pessoas com deficiência visual é geralmente feito com o ábaco, que precisa ser integrado ao braille. Para simplificar a assimilação por parte do aluno e também estimular a interação com outros estudantes sem deficiência, estudantes do SENAI Mario Amato, de São Bernardo do Campo (SP), criaram o Mathbraille.

Em formato decagonal, o brinquedo tem oito peças, sendo que quatro são numéricas, duas de sinais matemáticos e duas que funcionam como eixo de rotação e travamento do jogo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A fase de desenvolvimento do produto teve a participação de PCDs visuais. O principal desafio foi atender as necessidades no que diz respeito à ergonomia do produto bem como na facilidade de manuseio. “Aprimoramos com base na opinião dos PCDs. Levamos em duas instituições e, a partir dessa experiência, vimos que ele precisava melhorar ergonomicamente. Então, mudamos o tamanho”, lembra o orientador Cesar Barbosa.

Além de proporcionar o ensino, desenvolvendo a percepção tátil do PCD-visual e de baixa visão, com o alfabeto em braile e as operações básicas (adição, subtração, multipliqcação e divisão), o produto aproxima e proporciona interação social com as outras crianças e os adultos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

2. Travesseiro despertador para surdos

Já imaginou como seria difícil acordar todos os dias sem o barulho do alarme? Os cerca de 30 milhões de brasileiros com deficiência auditiva passam por essa situação. Para auxiliar a levantar na hora certa, a solução encontrada por estudantes gaúchos veio em forma de travesseiro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A ideia surgiu depois que alunos do Centro de Formação Profissional do SENAI Garibaldi (RS) receberam a demanda da empresa Sonomais, de Bento Gonçalves (RS), de desenvolver kits ortopédicos. “Percebemos que havia um mercado muito vago para pessoas surdas. Fomos atrás, procuramos, investigamos e descobrimos que muitas pessoas surdas acordam com um celular que vibra embaixo do travesseiro. Buscando mais informações, vimos que é prejudicial para a saúde delas, porque o celular emite ondas de rádio frequência”, ressalta a aluna Dhienefer Uliana.

Para programar o horário, a pessoa usa um aplicativo. Na hora selecionada o dispositivo dentro do travesseiro é acionado e vibra, aliando conforto e independência para os usuários

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
>

3. Mesa adaptada para ambiente de trabalho

A falta de mobiliário adequado para pessoas com deficiência é um dos problemas enfrentados para promover a acessibilidade dentro do mercado de trabalho. Essa situação chamou a atenção dos estudantes do SENAI de Juazeiro do Norte (CE). O grupo começou a desenvolver o projeto em 2019 e precisou passar por diversas etapas até chegar ao design final.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A AdapTable conta com um sistema fácil e eficaz de ajuste vertical de altura automatizado, que funciona com um mini motor elétrico, acionado por uma chave reversora. Além disso, a largura é maior, ideal para cadeirantes. Para conforto e ergonomia, tem apoio de braço.

Cada detalhe da AdapTable foi pensada para o funcionário PCD, para fazê-lo se sentir confortável e incluído em seu âmbito profissional. Por ser uma mesa com ajuste de altura fará com que o usuário tenha maior autonomia em suas atividades sem precisar da ajuda de outros fazendo com que eles se sintam mais confiante e independente.

“Olhando produtos semelhantes ao nosso, muitos não têm a largura correta, não levantam e são caros. Para a maioria das grandes empresas, que têm vários funcionários PCDs, era preciso uma opção com melhor custo-benefício”, conta a estudante Anaially Ferreira.

Inova SENAI

Esses são alguns dos produtos que se destacaram no Inova SENAI. A competição entre estudantes de diferentes cursos técnicos começa com a seleção nos estados e as melhores iniciativas são apresentadas em nível nacional a cada dois anos. A mostra virtual das 80 propostas finalistas, de um total de 260, aconteceu entre os dias 24 a 27 de novembro, com uma rodada de negócios entre alunos e empresas..

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os projetos que participam do Inova SENAI podem ser considerados um termômetro dos desafios e do futuro da indústria brasileira, já que são elaborados a partir de problemas reais e têm viabilidade para serem aplicados na prática.

“A acessibilidade é um tema que desperta interesse dos nossos estudantes. Eles buscam soluções para problemas reais, as ideias nascem da indústria, que, muitas vezes, lança o desafio e provoca os alunos”, explica o gerente de Educação Profissional do SENAI, Felipe Morgado. Ele destaca que o Inova também incentiva o empreendedorismo e abre portas para o mercado de trabalho: “Alguns projetos conseguem virar negócios ou produtos, recebem investimento”.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade