Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Admiradores de Roriz prestam últimas homenagens em sepultamento

Débora Oliveira 
redacao@grupojbr.com 

Lágrimas, cantorias e muita emoção. O final da manhã desta sexta-feira (28) foi marcado por homenagens ao ex-governador do Distrito Federal, Joaquim Roriz. De acordo com a Polícia Militar,  cinco mil pessoas, entre admiradores, familiares e amigos, estiveram presentes no cemitério Campo da Esperança, na Asa Sul, para dar o último adeus ao político goiano.

O cortejo foi recebido com muitos aplausos. Fãs da figura pública ainda se vestiram a caráter: roupas com os antigos números das eleições, bandeiras, faixas e balões azuis.

Aos 66 anos de idade, a enfermeira aposentada Benta Ferreira Lima fez questão de comparecer ao cemitério, com blusa, adesivo e bandeira da campanha realizada no ano de 1998, 20 anos atrás.

Benta conta o motivo pelo qual admirava o ex-governador: “O que me trouxe aqui hoje é muito amor. Amor pelo que ele fez por Brasília e também amor pela pessoa dele. Tenho muita admiração pelo homem visionário que ele era”.

Questionada sobre o motivo para gostar tanto de Roriz, Benta afirma que enxergava no ex-governador uma maneira considerada correta de governar. “Conheci pessoalmente e admirava ele como governador, ele governou para todos, desde os ricos lá do Lago Sul e do Plano Piloto até os pobres de regiões como Ceilândia,” explica Benta, que ressalta nunca ter recebido favores de Roriz.

Benta Ferreira Lima fez questão de comparecer ao cemitério, com blusa, adesivo e bandeira da campanha realizada no ano de 1998. Myke Sena/Jornal de Brasília

Amigo da família, o empresário Ricardo Carvalho, de 35 anos, relembra a relação que tinha com o ex-governador ainda pequeno. “Meu pai foi administrador regional de São Sebastião,  indicado pelo Roriz. Desde criança sempre acompanhava meu pai em todas as ações do Roriz, tive o privilégio de conviver dentro da casa dele, meu irmão era seu advogado, e minha família teve uma proximidade muito grande com ele”.

Para Ricardo, Brasília perdeu um grande homem. “O Roriz é um eterno governador, Brasília perdeu muito com a morte dele. Acho que ninguém vai substituir o que ele fez e o que ele foi. Roriz é o pai de todo mundo”, comenta.

“Pai dos pobres”

Ângela Maria acredita que Roriz foi o “pai dos pobres”. Myke Sena/Jornal de Brasília

Abalada, Ângela Maria, de 64 anos, relembra que Joaquim Roriz era um político humilde. “Ele é um pai e nós estamos órfãos com sua perda. Ele é quem fazia a cidade funcionar, e agora acabou. Era nosso paizão, o pai de todos, pai de todas as pessoas simples. Ele era uma pessoa do povão mesmo, onde ele via a gente, chamava para abraçar. Vai fazer muita falta”, lamenta.

Veja fotos do sepultamento

Publicidade
Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA

Baixe o App do Jornal de Brasília

Copyright © 2006-2019 Jornal de Brasília Notícias Digitais Ltda. Todos os direitos reservados.