Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Administração do Paranoá abriga pessoas em situação de rua

Funcionários de diversos órgãos e moradores se juntam para fazer o bem e tirar pessoas do frio que tem castigado o DF

Publicado

em

Foto: Administração Regional do Paranoá/Divulgação
Publicidade

Willian Matos
redacao@grupojbr.com

Em meio às baixas temperaturas que têm sido rotina no Distrito Federal, funcionários da Administração Regional do Paranoá se reuniram e fizeram uma ação coletiva para ajudar pessoas em situação de rua com um objetivo maior: fazer o bem.

A ação teve início na noite de quarta-feira (10/7). Os membros da administração reuniram colchões, cobertores, toalhas, produtos de higiene e abrigaram cerca de 15 pessoas no ginásio da cidade, oferecendo, também, um sopão para alimentar a todos.

Uma das responsáveis pela ação colaborativa, Rose Pimenta, fala em nome de todos quando diz que ficou feliz e surpresa com as doações da população. “Recebemos muito ingrediente para sopa, cobertor, roupas, agasalhos…” afirma. A iniciativa dos doadores talvez justifique o slogan da campanha, “O amor no Paranoá é mais forte que o frio.”

Abrigo, comida e carinho: tudo que os responsáveis pela ação têm a oferecer. Foto: Administração Regional do Paranoá/Divulgação

Uma equipe com funcionários da administração vai às ruas para oferecer o abrigo às pessoas em situação de rua durante a noite. Deixando sempre claro que não se trata de um albergue ou algo do tipo, eles oferecem banho, comida, roupas novas e um lugar quentinho para dormir e se afugentar do frio. Nas abordagens, a equipe encontrou vários cachorros em meio aos cidadãos.

Publicidade
Foto: Administração Regional do Paranoá/Divulgação

O chefe-jurídico da administração, Dr. Carlos Fernando, explica a relação entre as temperaturas baixas e a vontade de fazer o bem. “Queremos evitar o evitável, que são situações como aquelas mortes possivelmente causadas pelo frio em São Paulo e Curitiba”, define Fernando. A ação vai continuar pelos próximos dois meses, podendo durar até 60 dias, que é quando o frio deve dar espaço a outro clima no DF.

O advogado afirma que a administração aceita e precisa de doações, desde que não seja em dinheiro vivo. “Se o nosso gesto for capaz de disseminar o bem, estaremos satisfeitos.”

A ideia partiu dos funcionários da administração, mas diversos órgãos, instituições e cidadãos se propuseram a fazer parte dessa corrente. A subestação da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) do Paranoá tem participado diretamente da ação. Além da OAB, Centro de Referência de Assistência Social (Cras), Polícia, Bombeiros, Hospital Leste, Restaurante Comunitário, associações e entidades religiosas estão envolvidos.

Você pode ajudar também!

A administração ainda aceita doações para seguir oferecendo as melhores condições possíveis para os abrigados, uma vez que os materiais são para os próximos 60 dias, em média. Cobertores, toalhas, copos e colheres descartáveis, pão, ingredientes para sopa e ração para animais são alguns dos itens que você pode doar para ajudar nesta campanha.


Você pode gostar
Publicidade