fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Acusado de feminicídio no Sol Nascente tem prisão preventiva decretada

“Enquanto esfaqueava a vítima, Ricardo proferia palavras ligadas à religião”, afirmou uma das testemunhas

Avatar

Publicado

em

Foto: Reprodução
PUBLICIDADE

Ricardo Silva Souza, de 35 anos, teve a prisão em flagrante convertida para preventiva após ter sido acusado de matar a namorada, de 34 anos, a facadas. A decisão foi proferida pelo tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) nesse sábado (12). O enterro da vítima, Maria Jaqueline de Souza, está previsto para as 10h30 desta segunda-feira (14), no Cemitério de Taguatinga.

A decisão foi proferida pelo juiz Frederico Ernesto Cardoso Maciel. A prisão preventiva pode durar até 180 dias enquanto não houver nova decisão da Justiça.

O crime ocorreu no Sol Nascente e foi presenciado por uma testemunha e por policiais que atenderam à ocorrência. No despacho, o magistrado utiliza a descrição de um dos policiais para elucidar o ocorrido. De acordo com o documento, “o depoente ficou impressionado com a cena que presenciou, pois, enquanto esfaqueava a vítima, Ricardo proferia palavras ligadas à religião — como se estivesse em transe, surto psicótico, sob efeito de narcóticos ou possuído por alguma entidade (demoníaca)”.

De acordo com a Polícia Militar, o homem foi flagrado sobre o corpo da vítima, enquanto a esfaqueava. Mesmo com a presença das autoridades e de uma testemunha, ele não cessou os ataques. Os policiais dispararam duas vezes contra o agressor, utilizaram uma arma de choque e deram golpes nas mãos do suspeito para que ele soltasse a faca.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ricardo foi preso na manhã de sexta-feira (11). Segundo a polícia, ele tem passagem por tráfico de drogas e cumpria pena em regime domiciliar. Além disso, o acusado era investigado por uma tentativa de roubo.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade