fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Acusada de furto, idosa sofre infarto

O Grupo Super Adega encaminhou nota de esclarecimentos na qual lamenta e confirma o ocorrido e afirma ter prestado todos os socorros à idosa

Olavo David Neto

Publicado

em

PUBLICIDADE

Uma senhora de 75 anos foi hospitalizada no sabado (28) depois de uma acusação de furto por parte de funcionários do Atacadão Super Adega do Jardim Botânico. Milta Jesus de Oliveira terminou de passar as compras do mês – que superaram R$ 600 – quando foi questionada pela operadora do equipamento se também iria pagar a sandália de dedos que usava na ocasião. Assustada, Oliveira explicou que o chinelo era um presente, que o não tomara das gôndolas do mercado.

Sem se dar por satisfeita, a funcionária da rede atacadista solicitou apoio dos seguranças do local, que exigiram de Milta a comprovação de que a sandália pela qual era acusada de furto era, de fato, sua. A aposentada começou a se sentir mal. A partir daí, o gerente da loja se aproximou do grupo pedindo desculpas. Como justificativa, afirmou que há uma outra senhora que costuma furtar chinelos do estabelecimento, e ela, segundo o funcionário, seria parecida com Oliveira.
Estado grave

A 30ª Delegacia de Polícia (São Sebastião) investiga o caso. Questionada pelo Jornal de Brasília, a Polícia Civil (PCDF) não se manifestou até o fechamento desta matéria. À reportagem, o Grupo Super Adega encaminhou nota de esclarecimentos na qual lamenta e confirma o ocorrido e afirma ter prestado todos os socorros à idosa. Milta foi recebida em estado grave na Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de São Sebastião. Segundo a empresa, leitos em dois hospitais particulares foram oferecidos, mas, com uma vaga encontrada no Hospital Universitário de Brasília (HUB), a família optou pelo equipamento público.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade