Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Ação da Caesb corta “gato” de 236 casas

Foram 236 casas que tiveram o fornecimento de água suspenso devido a irregularidades. A operação foi realizada com foco no Condomínio Mestre D’armas 2, em Planaltina

Publicado

em

Da Redação
redacao@grupojbr.com

Uma operação com o intuito de combater ligações clandestinas de água, os famosos “gatos”, foi feita pela Companhia de Água e Esgoto de Brasília (Caesb) em apoio com a Polícia Militar do DF na manhã de ontem.

Foram 236 casas que tiveram o fornecimento de água suspenso devido a irregularidades. A operação foi realizada com foco no Condomínio Mestre D’armas 2, em Planaltina.

Essa foi a quinta operação realizada no residencial. De acordo com o órgão, em outras idas ao condomínio, foram tentadas diversas ações de conscientização e educativas com os moradores, no intuito de evitar essas irregularidades. Mas pouco depois, outros “gatos” já foram instalados. Além dos prejuízos financeiros, ligações clandestinas podem gerar problemas de abastecimento para regiões adjacentes.

A Caesb abrirá um processo administrativo contra os infratores. A ligação clandestina é crime e a multa varia de R$ 1.600 a R$ 72 mil. De acordo com o órgão, o prejuízo causado por esse condomínio chega a R$ 13 mil mensais.
Prejuízo

O gerente de vistoria e fiscalização da Caesb, Geraldo Donizeth, afirmou que “além de ser crime de furto , fragiliza as redes, causando diversos vazamentos com possibilidade de contaminação da água”, o que pode ajudar na proliferação de doenças que se espalham com a água suja. “Sem contar que torna a água mais cara para aqueles que estão dentro da regularidade, pois a água furtada influencia no índice de perdas da companhia, e esse índice, é um dos componentes da tarifa”, destaca o gerente. Somente no ano de 2018, as ligações clandestinas em todo o DF somaram R$ 35 em prejuízos para a Caesb.


Você pode gostar
Publicidade