Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Campus Party

Precisamos tornar as cidades mais inteligentes e humanas.

Por Arquivo Geral 07/06/2017 5h22

Todos os dias, cerca de 200 mil pessoas passam a morar em áreas urbanas em todo mundo, segundo a ONU. Até 2050, as cidades deverão concentrar 70% da população do planeta. Tantas pessoas em um mesmo lugar trazem enormes desafios: uma grande pressão por consumo de recursos naturais, que são finitos, e um aumento exponencial da demanda por serviços. Precisamos pensar e discutir os meios que estão ao nosso alcance para tornar as cidades mais inteligentes e humanas, enquanto ainda temos algum tempo.

 

Essa é a proposta do Fórum de Cidades Inteligentes e Humanas, que será feito em parceria com a Rede Brasileira de Cidades Inteligentes e Humanas, presidida por André Gomyde, no dia 15 de junho, dentro da 1ª edição da Campus Party Brasília. Vamos mostrar que uma cidade inteligente e humana não se faz somente com tecnologia, mas com um olhar urbanístico e ambiental que proporcione às pessoas mais qualidade de vida, tendo o cidadão como centro de seu desenvolvimento.

 

Por exemplo, na cidade de Águeda, em Portugal, um projeto de incentivo ao uso compartilhado de bicicletas elétricas surgiu por uma questão topográfica: as ruas do município português eram muito íngremes. Na cidade de Haifa, em Israel, por sua vez, o problema detectado foi o declínio nas licenças para novas construções. A solução pensada foi radical: zerar o uso de papéis nos processos de licença urbanística. Tudo foi digitalizado, a burocracia acabou e a demanda de novos empreendimentos voltou a crescer.

 

No Brasil, há exemplos tímidos. No Rio de Janeiro, há um serviço que se chama 1746 Rio, no qual cidadão pode solicitar eletronicamente a remoção de entulho, fazer denuncia de estacionamento irregular, pedir reparo de lâmpadas apagadas e reparo de buracos. Já em Águas de São Pedro, em São Paulo, os postes de luz são equipados com sensores e chips de monitoramento que regulam a intensidade da luz de acordo com o fluxo de pessoas e veículos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

Vocês estão convidados a entrar nessa conversa para compartilharmos outras ideias e experiências. Chamo a atenção, sobretudo, para o Painel sobre Políticas Governamentais para o Desenvolvimento de Cidades Inteligentes e Humanas, agendado para 11h30 no dia 15 de junho. O Painel contará com a presença do Deputado Vitor Lippi, que criou a Frente Parlamentar Mista em Apoio às Cidades Inteligentes e Humanas, cuja proposta é o estudo e a proposição de legislações que possam fomentar o desenvolvimento das cidades inteligentes no Brasil. Nos vemos na Campus Party!

 

Sobre o autor:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Francesco Farruggia é presidente do Instituto Campus Party e sócio fundador da Futura Estudios, empresa que tem como objetivo estudar a arquitetura da sociedade no futuro. É anjo e sócio-investidor de diversas startups digitais, além de ter criado e dirigido importantes organizações de marketing estratégico em mídia de massa, consumo de massa e política.

 

Confira os outros artigos da Coluna Campus Party em: http://www.jornaldebrasilia.com.br/category/blogs-e-colunas/campus-party/

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar