Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Requerimento pede explicações do BRB sobre empréstimo a Flávio Bolsonaro

O deputado distrital Fábio Félix (Psol) assinou, nesta sexta-feira (5), um requerimento ao presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) exigindo informações acerca do crédito obtido pelo senador

Fábio Felix. Foto: CLDF

O deputado distrital Fábio Félix (Psol) assinou, nesta sexta-feira (5), um requerimento ao presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), exigindo informações ao Presidente do Banco de Brasília (BRB) acerca do crédito obtido pelo senador Flavio Bolsonaro perante o Banco, como parte dos recursos utilizados pelo parlamentar para a compra de mansão avaliada em R$ 6 milhões.

O Senador financiou R$ 3,1 milhões junto ao BRB, para quitação em 360 meses, com taxas de juros entre 3,65% e 4,85%, e as parcelas, em torno de 18 mil reais, consumiriam cerca de 49% dos rendimentos líquidos do Senador.

“Como se sabe, o Senador é investigado, com outras quinzes pessoas, pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro pelos crimes de peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa, por ter supostamente comandado um esquema de desvio de verbas de gabinete enquanto foi deputado estadual na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (ALERJ). Imagens de seu assessor direto, Fabrício Queiroz, que hoje cumpre prisão domiciliar em razão destes fatos, pagando em dinheiro vivo boletos bancários relativos a despesas da família do Senador, então deputado, já foram obtidas e transmitidas em televisão aberta. Os acusados negam as investigações, mas a recente notícia da aquisição da mansão colocou em suspeita não apenas que a chamada “rachadinha” pode ainda estar sendo praticada. As notícias abrem margem a especulações de que o BRB, importante instrumento de desenvolvimento econômico e social do Distrito Federal, está sendo utilizado para converter em ativos lícitos recursos de origem criminosa. Especulações essas que precisam ser elucidadas”, diz o requerimento.

De acordo com o documento, a intenção é obter informações acerca dos procedimentos de prevenção e combate à ocultação de patrimônio, lavagem de dinheiro e tráfico de influência na instituição financeira. Confira:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar