Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Projeto de Lei cria campanha de conscientização acerca da leucemia

O objetivo da proposta é incentivar as campanhas de conscientização e diagnóstico precoce da leucemia, que é um tipo de câncer no sangue

Foto: Freepick

O Projeto de Lei nº 1836/2021 cria o movimento “Fevereiro Laranja”, destinado à campanha de conscientização para o diagnóstico precoce e tratamento da leucemia. A cor laranja é a escolhida para simbolizar e chamar atenção para doença e a importância de se tornar um doador de medula óssea. A medida é de autoria do vice-presidente da Câmara Legislativa, deputado Delmasso (Republicanos).

O objetivo da proposta é incentivar as campanhas de conscientização e diagnóstico precoce da leucemia, que é um tipo de câncer no sangue que acomete a medula óssea, onde são fabricadas as células sanguíneas. A leucemia é doença que tem aumentado muito e, infelizmente, existe um alto índice da doença em crianças.

Por isso, a campanha “Fevereiro Laranja” surge para alertar a população sobre a leucemia e a importância da realização de exames para que o diagnóstico se dê o mais rapidamente possível. A leucemia é um câncer que atinge a medula óssea e quando se tem um diagnóstico antecipado, as chances do sucesso do tratamento são muito maiores.

Existem mais de 12 tipos de leucemia, sendo que os quatro primários são: leucemia mieloide aguda (LMA), leucemia mieloide crônica (LMC), leucemia linfocitica aguda (LLA) e leucemia linfocitica crônica (LLC). De um modo geral, alguns sinais como sangramento, desmaios, vômitos, manchas no corpo, dores nas articulações e perda de peso podem significar que um diagnóstico adequado é necessário.

“Acredito que esse tema é extremamente importante, tanto para a prevenção e diagnóstico precoce da doença, quanto pra se dar mais atenção à necessidade de doação de medula”, destaca Delmasso.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Como doar?

Existem hoje, no Distrito Federal, 67.508 pessoas cadastradas no Registro de Doadores de Medula Óssea (Redome). Para ser doador e se cadastrar no banco de dados é necessário ter idade entre 18 e 55 anos, boa saúde e realizar a doação de uma ampola de sangue, colhida e cadastrada no Hemocentro.

O Hemocentro está atendendo somente por agendamento. A medida foi adotada em virtude da pandemia de coronavírus, para evitar aglomerações. Agende seu atendimento individual pelo site agenda.df.gov.br. Esse serviço não é agendado por telefone, exceto para grupos (até 10 pessoas).

Com informações da CLDF

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar