Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Polícia prende suspeitos de matar uma criança e deixar outra ferida em Formosa

Por Arquivo Geral 28/10/2015 2h36

Ao lado da marca de sangue no asfalto, um urso de pelúcia rosa contrastava com o estrago de uma bala perdida. Junto ao brinquedo, um cartaz dizia “dois anjos inocentes”. Um deles era Echille Vitória Lopes de Jesus, de oito anos, que morreu a caminho da escola ontem, depois de ser vítima de um tiroteio em Formosa (GO), Região Metropolitana do DF. O outro é Wender Cauã Lopes de Jesus, 11, irmão de Echille, que também foi atingido, mas, até o fechamento desta edição, não corria mais risco de morte, segundo os familiares. 

O crime aconteceu por volta das 12h30 na Avenida Senador Coimbra, no Parque da Colina. Os dois, que estavam na companhia do irmão   de 16 anos, foram baleados nas costas  ao atravessar a rua.

As crianças pagaram por uma briga iniciada em um posto de combustível próximo, envolvendo dois carros: uma caminhonete Mitsubishi L200 e um VW Gol prata, ano 1994. Segundo o delegado do Grupo de Investigação de Homicídio (GIH) de Formosa, Vyvautas Zumas, duas pessoas estavam na caminhonete e outras duas no Gol.

 “Os suspeitos da caminhonete foram identificados após análise das imagens das câmeras do posto, mas permanecem foragidos. Entre os ocupantes do carro, o condutor foi preso e o comparsa dele   continua desaparecido”, explica Zumas.

A polícia trabalha com muitas versões sobre o caso. “Uma delas é que, durante a confusão no posto, uma mulher grávida estaria dentro do Gol. Seria a companheira do condutor. Após a briga, ele a teria deixado na casa de um conhecido e retornado à avenida   com um comparsa”, completa o delegado, ressaltando que, no caminho, eles encontraram a caminhonete e começaram a troca de tiros. 

O motorista do Gol, Jailton Alves dos Santos, vulgo Malão, 22 anos, foi preso em flagrante pela PM horas depois.  De acordo com o delegado, o motivo da confusão é desconhecido. “Ainda é cedo para afirmar, mas acreditamos que não foi uma briga ocasionada pelo tráfico de drogas. Pode ser que a discussão tenha, de fato, sido provocada por uma besteira”, acrescenta. 

Isso porque os ocupantes da caminhonete, ainda que tenham antecedentes criminais, têm um histórico diferente de Jailton, que acumula passagens por tentativa de homicídio, roubo e porte de arma. Agora, ele vai responder por homicídio qualificado, com pena de 12 a 30 anos de prisão, e tentativa de homicídio, que tem a pena diminuída em  até 2/3. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Echille sonhava  ser veterinária
 
Caçula da família e única menina entre os seis irmãos, Echille Vitória era a mais meiga e carinhosa dos netos. Quem diz é a avó materna Dormecina Maria Lopes, 58 anos, ainda muito abalada com a tragédia. Segundo a dona de casa, Echille, que tinha o sonho de ser veterinária, era muito apegada a ela. “Não sei o que fazer, minha única neta não vai voltar mais. Estou sem chão e rezando pelo meu outro neto”, lamenta. Wender Cauã foi transportado de helicóptero para o Hospital de Base de Brasília e passou por uma cirurgia no abdome, segundo os familiares.
 
 De acordo com a tia dos meninos, Andréia Lopes de Souza, 35, foi o irmão mais velho quem foi pedir ajuda. “Ele   ainda pegou a irmã no colo. Depois, saiu correndo para avisar a mãe, que saiu desesperada. Quando ela chegou, Echille já estava morta”, afirma a dona de casa, destacando as últimas palavras da sobrinha: “Antes de ela ir para a escola, passou aqui e comentou o quanto estava bonita. Ela beijava a gente o tempo todo”.
 
Na porta da escola, um cartaz preto foi colocado em luto por Echille. De acordo com a diretora da instituição, Audina Alves Alcântara Vieira, as aulas foram suspensas na tarde de ontem, mas voltam ao normal hoje. “Eu passei muito mal quando soube. Ela era uma menina muito   esforçada. Estudava há uns três anos na escola”, conclui.
 
Relatos de testemunhas
 
Segundo o delegado Zumas, as armas ainda não foram encontradas, mas ele acredita que sejam revólveres calibre 38. De acordo com ele, pelo menos um disparo atingiu o Gol e testemunhas afirmaram que a caminhonete também saiu danificada. Um dos ocupantes desse último veículo seria dono de um lava-jato da cidade. 
 
O delegado destacou que Jailton confessou o crime, informalmente, ao ser preso pela PM. Segundo Zumas, após a troca de tiros, ele fugiu e bateu o carro, que foi abandonado por ele e seu comparsa.  Em seguida,  a  companheira e   amigos dele teriam tentado ajudá-lo a fugir em um Fiat Palio. Eles também   prestaram esclarecimentos na delegacia.








Você pode gostar