Brasília

Petista critica “arruaça” na porta do governador

“A arruaça que estão fazendo não é um movimento e sim, mera antecipação de campanha eleitoral”, diz Chico Vigilante

Chico Vigilante Local CLDF Foto: Kléber Lima

Hylda Cavalcanti e Catarina Lima
[email protected]

A primeira sessão da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) realizada depois da decretação do lockdown em Brasília e Regiões Administrativas, ontem, foi marcada por vários pronunciamentos e sugestões feitas pelos distritais sobre como reduzir a pandemia.

Arruaça – Primeiro a falar, Chico Vigilante (PT/foto) criticou os manifestantes que fizeram protestos em frente à casa do governador e do Palácio do Buriti nos últimos dias. “A arruaça que estão fazendo não é um movimento e sim, mera antecipação de campanha eleitoral”, reclamou.

Reunião – Vigilante encaminhou uma carta ao governador Ibaneis Rocha dizendo que a solução do DF é comprar vacinas. Pediu, também, a realização de uma reunião com representantes de órgãos dos três Poderes para discutirem, juntos, a pandemia. “É disso que estamos precisando, não dessas badernas”, acusou ele, que é oposicionista ao governo.

Orçamento

O deputado distrital Agaciel Maia (PL), no mesmo tom, sugeriu que a CLDF poderia usar do seu orçamento para comprar as vacinas para a população. “No ritmo lento de vacinação que estamos tendo, não sabemos quando é que isso vai acabar”, ponderou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Injustiça – O parlamentar também defendeu o lockdown. “Temos uma situação de aumento de casos que, de fato, precisa ser estagnada. Mas sabemos que as causas que levaram a essa medida são injustas porque muitos trabalhadores responsáveis estão sendo punidos por causa dos irresponsáveis que fizeram aglomerações”, avaliou.

Conta própria

Vice-presidente da CLDF, o deputado distrital Rodrigo Delmasso (Republicanos), que preside a comissão das vacinas da Casa, por sua vez, fez um apelo para que o GDF compre as vacinas por conta própria, como estão fazendo vários entes da Federação.

Insensatez – “Aguardar a posição do Ministério da Saúde nestas circunstâncias é uma insensatez. Nós, do Legislativo, precisamos nos posicionar e conversar com o GDF para que isso aconteça”, propôs.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

R$ 168 mil – De acordo com dados da Secretaria de Saúde do DF obtidos pela coluna, o GDF gasta diariamente R$ 168 mil com o pagamento de 56 leitos contratados nos hospitais São Francisco, Home, São Mateus, Daher e Hospital Universitário de Brasília (HUB).

Lotação – Isto acontece porque o custo da contratação de um leito na rede privada é de R$ 3 mil a diária. E estes contratos são necessários, uma vez que os hospitais da rede pública estão com suas enfermarias e UTIs destinadas aos pacientes de coronavírus lotadas.

Em Samambaia

Irritado por ter recebido críticas de sua atuação na cidade de Samambaia, recentemente, o deputado distrital Jorge Vianna (Podemos) se manifestou a respeito na última sessão da CLDF. Disse que tentam fazer “injustiça” com o seu nome, porque é praticamente um dos fundadores do local, que frequenta desde 1998.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Emendas – “Destinei emenda de R$ 500 mil para iluminar várias áreas da cidade e sempre estou atrás de pleitos para atender aos pedidos da população. Se esses recursos não foram aplicados nos locais devidos, a administração regional de lá é que precisa ser mais responsável e mais competente quanto a isso”, afirmou.

Cães-guias

Está sendo aguardada para breve, pelo deputado distrital Roosevelt Vilela (PSB), a votação no plenário da CLDF do projeto de lei de sua autoria que institui o dia do cão guia no Distrito Federal em 12 de outubro – mesma data do Dia da Criança. A matéria já foi aprovada pela Comissão de Educação, Saúde e Cultura da Casa.

Inclusão – “Compreende-se que os cães são como crianças, indo muito além de sua inteligência e responsabilidade. Eles são uma representação de lealdade. Além do mais, existe uma real relação de amor e confiança entre os cães-guia e seus tutores”, declarou, ao destacar a relevância desses animais para a inclusão social.

Inclusão

Policial civil de carreira, o deputado distrital Claudio Abrantes (PDT) trabalha para garantir a inclusão dos membros da Polícia Civil, PMDF e Bombeiros no Saúde-DF, o plano de saúde dos servidores do Executivo local. Para tanto, o parlamentar protocolou uma emenda que altera a Lei 3.831/2006, referente ao plano.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Direito – A emenda coloca os policiais civis na lista de carreiras cobertas pelo Saúde-DF. “Trata-se de uma alteração que vai trazer segurança jurídica para o Executivo e para o Instituto de Assistência à Saúde dos Servidores do DF (Inas), garantindo que os membros das forças de segurança tenham seu direito assegurado”, explicou.

Apoio às mães

O deputado distrital Eduardo Pedrosa (PTC), enviou um ofício a Secretária de Educação do DF sugerindo que mães de alunos que estiverem desempregadas sejam contratadas para realização de protocolos de higiene nas escolas, fundamentais para garantir a saúde dos alunos e servidores.

Tranquilidade – O deputado argumentou que, com a iniciativa, os alunos se sentirão amparados tendo as mães por perto e ajudando no retorno às aulas, quando este acontecer. Eduardo ainda disse considerar fundamental a vacinação dos servidores da educação. “Assim, a comunidade escolar terá tranquilidade para retomar a rotina na rede pública de ensino”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Parcerias

A secretária de Turismo do DF, Vanessa Mendonça, se reuniu recentemente com o embaixador da Finlândia no Brasil, Jouko Leinonen, para tratar do desenvolvimento, em conjunto, de ações que visam fortalecer ainda mais as relações entre Brasília e aquele país.

Potencial – “A Finlândia já ultrapassou 100 anos de relações oficiais com o Brasil e estamos buscando futuras parcerias”, explicou Vanessa. “A capital brasileira é um museu a céu aberto, com grande potencial em se tornar um destino turístico internacional consolidado”, enfatizou o embaixador.






Você pode gostar