Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Em Águas Claras, o parque é do povo

A TERRACAP informou ao Jornal de Brasília que já possue ordem de serviço para construção do Parque Central e Sul

Foto: Tereza Neuberger

Por Tereza Neuberger
[email protected]

Uma área que seria destinada à construção de um parque ecológico, na região entre a avenida Castanheiras e a avenida Boulevard Norte, em Águas Claras, tem divido a opinião dos moradores próximos, após comerciantes locais utilizarem a área para estacionamento de carros. A TERRACAP, no entanto, já informou ao Jornal de Brasília que já possui ordem de serviço para construção do Parque Central e Sul, e que a empresa está dentro do prazo para o início das obras que é de 90 dias.

A área destinada ao parque está localizada em frente a um complexo de edifício que possui andares comerciais e lojas na área externa, onde funcionam bares e restaurantes. Os donos dos estabelecimentos afirmam que o comércio deles tem sido prejudicado pela falta de lugares próximos para que seus clientes possam estacionar os carros.

Segundo Michele Silva, dona de estabelecimento no local, eles precisam de estacionamento urgente. Natália Barcelos, que estuda no local, disse que após o uso da área para estacionamento aumentou o movimento do comércio. A segurança no local também foi uma questão debatida. Uma funcionária do complexo, que não quis se identificar, disse que sair tarde dali estava ficando perigoso por ser uma área deserta.

Os proprietários de estabelecimento no local protocolaram uma autorização, junto à administração regional de Águas Claras-RA, em que solicitam a autorização para usar a área como estacionamento, enquanto o parque não é construído já que na planta do parque existem estacionamentos. Mas ainda não obtiveram resposta da administração regional local para a solicitação. Procurada pelo JBr, a administração ainda não se pronunciou.

Os moradores da região são contrários à utilização da área pública para estacionamento. Sandra Maria Ferreira reside próxima ao local que seria destinado ao parque. Ela afirma que investiu no imóvel dela por ter a promessa de um parque próximo. “Esse projeto do GDF foi o que me fez comprar um apartamento”. Segundo ela, as áreas verdes em Águas Claras estão acabando por conta das construções. No período das chuvas a falta de área verde é prejudicial para Águas Claras.

Deputado Eduardo Pedrosa, membro da Comissão de Assuntos Fundiários da CLDF

Procurado pela nossa redação o Deputado Distrital Eduardo Pedrosa (DEM), membro da Comissão de Assuntos Fundiários da CLDF, disse que: “Águas Claras sofre com a falta de áreas verdes e vegetação nas ruas e entre os prédios, por ter um adensamento muito grande. No período de chuvas faltam áreas permeáveis para ter a absorção da água pelo solo natural. Sem essas áreas verdes as ruas viram “rios”, uma correnteza de água que vai descendo e alaga as pistas.” Ele lembra da importância de áreas de lazer para comunidade, e reitera a importância de cumprir com o planejamento urbano original.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar