Brasília

Deputados do PT criticam venda da CEB

Os parlamentares demonstraram preocupação com os empregados da antiga estatal e com os rumos das tarifas para a população em geral e a indústria

Os deputados Arlete Sampaio e Chico Vigilante, ambos do PT, criticaram a venda da Companhia Energética de Brasília (CEB) ao grupo Neoenergia durante a sessão remota da Câmara Legislativa desta quarta-feira (3).

O Governo do Distrito Federal (GDF) assinou o contrato que consolidou a privatização nessa terça-feira (2). Os parlamentares demonstraram preocupação com os empregados da antiga estatal e com os rumos das tarifas para a população em geral e a indústria.

“Não conheço os termos do contrato, mas é necessário olhar pela segurança dos trabalhadores. Há cláusula que garanta a permanência?”, indagou a deputada. Por sua vez, Vigilante referiu-se à entrevista de representante da Neoenergia na qual ele teria sugerido a necessidade de aumentar o preço do serviço. “Logo, os moradores e empresários do Distrito Federal vão experimentar o que já sabem os habitantes de Salvador, de Goiás e Tocantins”, afirmou, citando localidade onde a empresa está instalada.






Você pode gostar