Brasília

Deputado Iolando critica MP de Bolsonaro por “prejudicar pessoas com deficiência”

A isenção do IPI, imposto federal incidente sobre a venda de veículos novos, somente valerá para automóveis de até R$ 70 mil

A alteração nos benefícios das pessoas com deficiência em relação à compra de veículos com desconto, editada pelo presidente da república na Medida Provisória nº 1.034/21, revoltou o deputado Iolando (PSC).

Na sessão da Câmara Legislativa desta quarta-feira (3), realizada por teleconferência, ele disse que está estarrecido com a decisão. A isenção do IPI, imposto federal incidente sobre a venda de veículos novos, somente valerá para automóveis de até R$ 70 mil e aquisição com o desconto, antes, válida a cada dois anos, terá de esperar quatro anos.

“Por que as pessoas com deficiência são tão maltratadas?”, perguntou o parlamentar, acrescentando, emocionado: “Me revolto”. Iolando disse que já defendeu o governo Bolsonaro em várias ocasiões, mas, nesse momento suas palavras são de indignação.

Para ele, a medida, sob a justificativa de cobrir a queda de arrecadação com a redução de tributos sobre o óleo diesel e o gás de cozinha, precisa ser revertida. “A isenção é uma conquista resultante de uma longa luta. Agora, o direito é subtraído”, declarou. O distrital informou que vai convocar ato público contra a decisão: “Iremos até as últimas instâncias”, concluiu.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar