Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Conselho Regional de Medicina investiga morte após lipoaspiração no Lago Sul

Por Arquivo Geral 21/09/2016 7h00
Diretora de uma escola, Karla deixou marido e três filhos pequenos. Foto: Reprodução/Facebook

Manuela Rolim
[email protected]

Três dias após a morte da paciente Karla Castro Soares, depois de uma lipoaspiração, o Conselho Regional de Medicina (CRM-DF) vai instaurar uma sindicância para apurar o caso. Ela teria feito o procedimento no Instituto de Cirurgia do Lago (ICL), localizado no Centro Clínico do Lago Sul, mas teve complicações no pós-operatório. Karla era diretora de um colégio em São Luís, no Maranhão, e veio a Brasília para realizar o procedimento na terça-feira passada.

Depois de receber alta médica, ela teria sido diagnosticada com anemia e teve de ser levada para fazer uma transfusão de sangue no sábado. No dia seguinte, porém, a diretora não resistiu.

O CRM não chegou a receber denúncia formal sobre o caso, mas foi comunicado da ocorrência pela imprensa. O conselho pretende analisar o fato do ponto de vista ético-profissional.

“Após a abertura da sindicância, o Departamento de Fiscalização do CRM-DF realiza uma vistoria no local, mas quem interdita é a Vigilância Sanitária. Tudo será averiguado, inclusive se há ou não autorização, equipamentos necessários e profissionais”, esclarece a entidade, por meio da assessoria. Até ontem, não havia ocorrência registrada na Polícia Civil, para que uma apuração criminal tenha início.

Procurado pelo Jornal de Brasília, o Instituto de Cirurgia do Lago (ICL) não se pronunciou sobre o caso. Na porta da clínica, médicos e funcionários alegaram não ter conhecimento sobre a morte da paciente.

Comoção em escola

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Mãe de três crianças pequenas, Karla administrava a escola Portal do Saber. O colégio postou uma nota de pesar no Facebook. Imediatamente, centenas de comentários e compartilhamentos tomaram conta da publicação. Familiares, amigos, alunos e colegas de trabalho aproveitaram a rede para lamentar a morte de Karla.

Em uma das mensagens, uma internauta lembra-se dos momentos que viveu ao lado da diretora. “Realmente é difícil apagar aquele sorriso radiante de nossas mentes. Que Deus conforte a família e amigos! Muito triste, não canso de falar que sentia prazer em conversar e prazer em estar perto. Humildade e grandeza ela esbanjava. Deus sabe de todas as coisas. Que a coloque em um bom lugar”, desabafa uma amiga.

Outra colega faz questão de apoiar a família da vítima. “Uma pessoa insubstituível mesmo. Uma dor enorme sentimos nesse momento, difícil de aceitar. Ela agora está ao lado do nosso Deus. Hoje, o céu ganhou mais uma estrela. Que Deus conforte a família e todos os nossos corações. #PortaldoSaber , pra sempre #TiaKarla!!!”, diz.

Nota de Pesar

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Palavras nos faltam neste momento de dor e não aceitação… Como expressar, em palavras, a enorme tristeza que nos invade? Pessoas especiais e inesquecíveis são insubstituíveis… e deixam sempre um vazio em sua ausência, mas devemos sempre lembrar que Deus quer, ao seu lado, os melhores… É com todo pesar que trazemos esta triste notícia da perda da nossa Diretora Karla Castro Soares, hoje, 18/09, e pedimos a Deus que conforte a todos neste momento difícil. Informamos que a escola está de luto por três dias e conta com o apoio das famílias no intuito de orientar as crianças sobre o processo de luto. Retornaremos às atividades escolares em 22/09”, divulgou a escola Portal do Saber em sua página no Facebook.

Vigilância fez vistoria recentemente

A Diretoria de Vigilância Sanitária (Divisa), da Secretaria de Saúde, esclarece que vistoriou o ICL recentemente. “O estabelecimento está apto para funcionamento e atende à legislação sanitária vigente. Além disso, existe um termo de compromisso assinado pela Divisa, pelo Ministério Público e pelo CRM autorizando esse tipo de procedimento na clínica”, detalha a assessoria do órgão.

Ainda assim, a pasta aguarda o laudo com a causa da morte para tomar as devidas providências que competem à Vigilância. “Vale frisar que a investigação sobre o óbito cabe à Polícia Civil. A análise dos médicos, por sua vez, é função do CRM”, completa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A secretaria informa ainda que o Programa de Vigilância Sanitária em Clínicas de Cirurgia Plástica realiza, regularmente, vistorias em estabelecimentos do ramo de forma a garantir a segurança da população.

Em março deste ano, no Centro de Cirurgia Plástica Israel Pinheiro, na QI 9 do Lago Sul, outra paciente morreu no pré-operatório para a retirada do excesso de pele das pálpebras. O local fica no mesmo prédio do ICL.

Logo após a sedação, Maria Conceição Silva Costa, 56 anos, apresentou quadro clínico instável e não resistiu. A principal hipótese é de que ela sofreu um choque anafilático. Na época, o centro foi interditado pela Secretaria de Saúde até que comprovasse as condições necessárias para o funcionamento.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar