Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Autoridades da Saúde estudam melhorias para a rede pública do DF

Encontro aconteceu na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Sobradinho

Por Willian Matos 31/07/2019 10h04
Foto: Ascom/Iges-DF

Willian Matos
[email protected]

Diretores, secretários e administradores se reuniram na última terça-feira (30/7) para debater e buscar melhorias para a Saúde do Distrito Federal. O encontro aconteceu na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Sobradinho.

Reuniram-se o diretor-presidente do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF), Francisco Araújo, o Subsecretário de Assistência da Secretaria De Saúde, Ricardo Ramos e o superintendente da Região de Saúde Norte, Ricardo Tavares, além do administrador de Sobradinho II, Alexandre Yanez, diretores de hospitais da região e assessores. O objetivo de todos é integrar UPAs, Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e hospitais.

Segundo o presidente do Iges-DF, Francisco Araújo, é necessário, no entanto, disponibilizar e oferecer atendimento à população desde já, sem que ninguém tenha que esperar por esta integração. “Precisamos colocar em funcionamento o que temos hoje para que a população não fique completamente desassistida. As equipes de saúde da família têm de trabalhar. Se formos esperar para reestruturar tudo, a população vai sofrer e não é isso que queremos”, afirmou.

Francisco avalia que o trabalho em rede com a Secretaria de Estado de Saúde (SES) já rende bons frutos. “Devemos resolver as coisas por partes e nos territórios, principalmente colocando para funcionar o que for possível para que os serviços tenham andamento. São as pessoas que mudam as coisas e é com isso que devemos trabalhar. A SES assinou contrato de manutenção predial para dar apoio aos hospitais da região. E nós, como instituto, estamos prontos para agir”, salientou.

O superintendente Ricardo Tavares reafirmou a importância do trabalho regionalizado na área da saúde. “Trabalhando com o georreferenciamento e com o atendimento inicial nas UBSs conseguimos fazer com que o paciente seja direcionado de forma mais adequada”, disse.

O subsecretário de Atenção Integral à Saúde (Sais), Ricardo Ramos, representante do secretário Osnei Okumoto, destacou a obrigação da Saúde do DF. “Nossa comunidade deve ser acolhida e receber as informações de maneira adequada. Às vezes, o atendimento não será imediato, porém, temos a obrigação de esclarecer dúvidas e orientar da melhor maneira possível para que as pessoas se sintam cuidadas”, falou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ações

Ainda durante as discussões, a subsecretária de Gestão de Pessoas, Silene Quitéria Almeida Dias, concordou com o presidente do Iges-DF em relação ao enfrentamento das dificuldades, afirmando que é preciso trabalhar com o que se tem a fim de que se possa reestruturar o restante.

“Nessa região temos dificuldade de prover a força de trabalho. Por isso, estamos pensando na possibilidade de ampliação das horas dos profissionais das áreas assistenciais e no fracionamento das cargas horárias conciliando a necessidade de cada unidade e dos servidores para o melhor resultado”, destacou.

Além disso, a ideia de um ambulatório itinerante também surgiu durante a conversa. O presidente Francisco sugeriu que ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), reformadas pelo Iges-DF, virem consultórios móveis para atender locais mais afastados.

“A criação do Iges-DF foi, justamente, para solucionarmos os problemas da saúde do Distrito Federal, e é isso que temos que fazer, pensar em maneiras criativas de ajudar a população”, ressaltou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Saúde na Região Norte

A Região de Saúde Norte compreende Sobradinho, Fercal, Sobradinho II e Planaltina. A única UPA está localizada em Sobradinho II e dois hospitais atendem a população: um em Sobradinho, que é referência em Trauma, e o outro em Planaltina. Na atenção secundária há três Centros de Atenção Psicossocial (Caps) e duas policlínicas. A atenção primária é composta por 34 UBS e 97 equipes de saúde da família. Com informações do Iges-DF






Você pode gostar