Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Aumento de casos em GO preocupa Okumoto

Estoque de medicamentos para intubação (kit intubação e luvas) foi reforçado e que as unidades de saúde e o Iges receberão hoje estoques

Por Catarina Lima 21/06/2021 7h42
Vacinação dos profissionais de saúde, veterinários e agentes funerários com 60 anos ou mais de idade, que estam na ativa, na Clínica da Família Estácio de Sá, na região central da cidade. O município do Rio de Janeiro ampliou hoje (27) o público-alvo da campanha de vacinação contra a covid-19.

O secretário de Saúde do Distrito Federal, Osnei Okumoto, disse durante entrevista coletiva para tratar da pandemia, na tarde de ontem, que está preocupado com o aumento do número de casos de coronavírus em Goiás, principalmente nos 30 municípios do entorno que compõem a Região Integrada de Desenvolvimento do DF e Entorno (Ride). “Temos a informação de que no entorno não estão sendo tomadas todas as devidas precauções. Gostaríamos de solicitar a todos, em especial dos municípios que fazem parte da Ride, que prestem atenção às medidas de proteção ao coronavírus não farmacológicas”, apelou o secretário. As medidas a que o secretário se referiu são o uso de álcool, distanciamento e uso de máscaras.

Ainda com relação ao aumento do número de casos no estado vizinho, Okumoto disse que o estoque de medicamentos para intubação (kit intubação e luvas) foi reforçado e que as unidades de saúde e o Iges receberão hoje estoques dos produtos. “O Iges tem autonomia de seis meses de oxigênio líquido”, garantiu.

Outra informação dada na entrevista coletiva de ontem foi o anúncio do início da vacinação de garis a partir desta semana. O chefe da Casa Civil do GDF, Gustavo Rocha, disse que o Serviço de Limpeza Urbana (SLU) enviou para a Secretaria de Saúde uma lista com o nome dos trabalhadores. Também teve início ontem a imunização das grávidas sem comorbidades e puérperas (até 45 dias após o parto). Para este público foram remanejadas 2.400 doses de outros públicos que não procuraram pela vacinação. As puérperas que mesmo já tendo feito o agendamento, mas que já tenham passado do período de até 45 dias após o parto, perdem o direito à vacinação nesta categoria.

Também teve início a vacinação da população mais vulnerável. A imunização começou por Água Quente e Recanto das Emas. Os próximos locais deverão ser a Estrutural e o Sol Nascente/ Pôr do Sol.

“O motivo de as grávidas e puérperas terem de agendar a vacinação é para evitar aglomerações e filas nos postos, uma vez que as vacinas existentes não são suficientes para todas”, explicou Rocha. O GDF espera concluir a vacinação deste grupo com a chegada de novas doses à cidade. Quanto à vacinação das lactantes (mulheres que amamentam crianças de até 2 anos de idade), ainda não tem data para o início da imunização.

O secretário Osnei Okumoto descartou a possibilidade de parar de utilizar a vacina CoronaVac no programa de imunização contra covid, no DF. “Conversei com colegas sobre a eficácia da vacina. Os resultados são bons, com sucesso. Não vejo motivo para retirar a vacina”, avaliou. O chefe da Casa Civil, Gustavo Rocha, disse que o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, descartou a retirada do imunizante do programa de vacinação. O DF receberá 95 mil doses que serão usadas como reforço. Mais 53 mil doses devem ser enviadas pelo Ministério da Saúde para a cidade. Mas segundo Osnei Okumoto ainda não será possível baixar a faixa etária, que hoje está em 49 anos.

Nova alterações no Decreto 41.913

O Diário Oficial do Distrito Federal trará em sua edição de hoje, alterações no Decreto 41.913, que dispõe sobre as medidas de enfrentamento à covid. Os horários de funcionamento de supermercados, padarias e cafeterias passam a ser de acordo com os respectivos alvarás de funcionamento. No entanto, não será permitido o funcionamento no esquema de 24 horas, uma vez que continua em vigor no DF a obrigatoriedade do recolhimento à meia noite.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar