Brasília

Apropriação de praça é denunciada por moradores

Associação de Moradores de Águas Claras acusa colégio de manter local público trancado

Por Lucas Neiva 27/01/2021 5h43

A utilização de um cadeado na entrada da quadra de esportes e do playground na praça em frente ao Colégio Biângulo, em Águas Claras, gerou revolta nos moradores, que acusam a escola de tomar para si o controle da praça, que é mantida aos cuidados da unidade escolar como parte do programa governamental Adote Uma Praça. Além disso, a Associação de Moradores e Amigos de Águas Claras (Amaac) aponta irregularidades na construção da praça.

“A utilização está restrita à autorização da escola, que colocou um cadeado na quadra. E a praça não está de acordo com o projeto original: faltam bancos, faltam lixeiras, faltam paraciclos. Então na verdade foi feita a reforma ‘adoção’ da praça apenas para os interesses da escola”, afirma Roman Dario, presidente da Amaac. O presidente da entidade também aponta para a irregularidade na regulamentação da praça, pois a autorização para a reforma nunca foi publicada no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF).

Escola se defende

A utilização do cadeado para trancar a quadra de esportes e o playground da praça não foi uma decisão tomada por acaso. “O que estava acontecendo: o nosso parquinho foi furtado, esse que temos agora é o nosso segundo parquinho, e tinham moradores depredando o local. Então trancamos o local de noite, deixamos a chave aqui e quem quiser pode vir, pegar e utilizar a quadra”, narra Adriana Coelho, diretora do Colégio Biângulo.

A diretora destaca que a praça é frequentemente utilizada pelos moradores para a prática de esportes, e que uma placa foi colocada na entrada da quadra informando que se trata de uma área pública sem custos para utilização. Ela também afirma que muitos moradores possuem cópias da chave do cadeado, e que qualquer um pode fazer uma cópia desde que se comprometa a manter os cuidados no local. Mas para a Amaac, a disponibilização da chave na escola não é suficiente para manter o livre acesso à praça. “Vão manter um vigia 24 horas oferecendo a chave a qualquer um que pedir por acaso?”, questiona Roman Dario.

Vizinhos da escola, porém, negam que o local seja utilizado por moradores ou que chaves tenham sido distribuídas. “Moro em frente à escola e digo que nunca vi ninguém utilizando a quadra ou o parquinho. E tampouco nosso condomínio recebeu a cópia da chave do local, Nem sabia que era aberto à população”, conta uma moradora do Residencial Costa do Sol, que não quis ser identificada. Um funcionário de um dos prédios vizinhos à Biângulo também nega a entrega de chaves. “Aqui nunca recebemos nada”, responde ele.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar