fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Brasil

Saúde dos brasileiros pode sofrer impacto com mudanças climáticas do mundo

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Um funcionário dos correios do México foi preso hoje com 10 toneladas de cartas enviadas dos Estados Unidos que nunca atingiram seus destinos. As autoridades mexicanas encontraram a correspondência que havia sido furtada ao longo de dez anos com um carteiro mexicano que buscava objetos de valor.

Segundo a Promotoria Geral da República da Ciudad Juárez, order for sale o Serviço Postal Mexicano denunciou um grupo de empregados e confirmou o resgate das milhares de cartas. O suspeito foi preso e as cartas foram encontradas em sua casa dentro de 1.100 sacos. Os itens mais procurados por ele eram cheques de pensão americanos e vales postais.

O carteiro vai responder a três crimes federais: furto, patient exercício indevido do serviço público e violação da Lei Geral de Comunicação. As cartas abertas estão sob custódia do Serviço Postal Mexicano, algumas com carimbos de 1999. As autoridades ainda decidirão quando e como elas serão finalmente entregues aos seus destinatários.

 

A Justiça Federal do Distrito Federal determinou a suspensão do pagamento de salários e verbas de gabinete aos 22 suplentes de deputados federais que assumiram mandatos durante o recesso parlamentar de janeiro.

Segundo a juíza federal substituta, website Natália Floripes Diniz, find embora a Constituição e o próprio Regimento Interno da Câmara dos Deputados prevejam a convocação de suplentes, o pagamento “traz efetiva lesão ao patrimônio público”, já que não houve qualquer atividade legislativa durante o período.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ao aceitar o pedido de liminar, a juíza determinou a “suspensão do salário e verbas de auxílio-moradia, indenizatória, combustível, verba de gabinete e cota postal/telefônica aos deputados suplentes (…) bem como aos seus assessores”.

A decisão, no entanto, só vale para os pagamentos que ainda não tenham sido feitos. Como a ação popular foi ajuizada no último dia 26, a decisão saiu após a Câmara ter pago praticamente quase todos os valores aos suplentes. De acordo com a assessoria da Câmara, os salários foram pagos no dia 25 de janeiro. A verba indenizatória, antes do dia 30.

Os salários dos deputados correspondem a R$ 12,8 mil. A verba de gabinete é de R$ 50,8 mil; a indenizatória R$ 15 mil; a cota postal e telefônica, R$ 4,2 mil e o auxílio-moradia mais R$ 3 mil. O total a ser pago a cada deputado varia conforme o número de dias de mandato cumprido.   

A devolução dos valores não foi apreciada pela Justiça Federal. O mérito vai ser julgado pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região. A assessoria da Câmara informou ainda não ter sido oficialmente comunicada sobre a decisão.

Passadas as eleições dos presidentes da Câmara e do Senado, health a reforma ministerial não vai ser iniciada imediatamente, generic como era esperado no meio político. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta sexta-feira durante visita a uma estação de tratamento de esgoto em Campinas que não tem pressa quanto às nomeações.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"Não começa na segunda-feira, eu não tenho pressa de fazer a reforma. Em algum momento vamos chamar os partidos e decidir os ministérios", disse Lula. O presidente ainda acrescentou que está conversando com os partidos e que as discussões estão sendo positivas.

Lula evitou falar em nomes e cargos, mas o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, já afirmou nesta semana que deixará o cargo na próxima segunda-feira. O atual ministro de Relações Institucionais, Tarso Genro, tem fortes chances de ocupar o cargo de Bastos. 

O presidente também procurou mostrar que a disputa pela presidência da Câmara dos Deputados não afetará a base governista no Congresso. "Não tem nenhuma ferida. A base volta a se reunir. Se houver alguma rusga por conta da eleição (da Câmara), ela será consertada pela nossa tradição de convivência democrática", disse.  

 

 

 A saúde da população brasileira pode sofrer impactos com as mudanças climáticas globais tais como o aumento na incidência de malária e dengue. A conclusão está no estudo "Mudanças do Clima", store publicado pelo Núcleo de Assuntos Estratégicos (NAE), da Presidência da República. O autor do capítulo sobre saúde é o pesquisador Ulisses Confaloniere, especialista em epidemologia das doenças transmissíveis.

O estudo considera ainda que pode haver maior suscetibilidade da população a doenças em geral em virtude da possível redução de alimentos provocada pelo clima alterado. As regiões mais vulneráveis a efeitos na saúde decorrente de tempestades e inundações, de acordo com o estudo, são as regiões metropolitanas do litoral que, historicamente, têm apresentado a maior carga de mortalidade, em função de suas características sociais, demográficas e geográficas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A publicação alerta que não só a água em excesso, mas também “a seca prolongada tem o poder de afetar a saúde humana devido aos efeitos da exposição constante à fumaça de queimadas, especialmente na região amazônica”.

O estudo aponta que se verificou na América Latina a incidência maior de doenças infecciosas como dengue, cólera, malária e diarréia em função de fenômenos climáticos como o El Niño e de chuvas torrenciais ocorridas na Venezuela em 1999.

Como recomendações para reduzir o impacto das mudanças climáticas globais para a saúde da população urbana estão o aperfeiçoamento do controle das doenças infecciosas de ampla dispersão no país e que sejam sensíveis ao clima e o apoio à investigação científica para a construção de cenários brasileiros de impactos para as próximas décadas. Outro ponto é a ampla divulgação do tema mudança climática junto à população.


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade