Siga o Jornal de Brasília

Brasil

Rio: presos suspeitos de investir em imóveis da milícia na Muzema

17 pessoas são procuradas. Até a última atualização da matéria, seis já haviam sido presas

Publicado

em

Da redação
[email protected]

Uma operação da Polícia Civil e do Ministério Público do RJ prendeu nesta terça-feira (16) suspeitos de investir na construção de imóveis irregulares da milícia que age na Muzema e em outras localidades da Zona Oeste do Rio. Até as 8h30, seis pessoas haviam sido presas – uma delas no Piauí. Outras 11 são procuradas.

Os 17 mandados de prisão foram expedidos pela 33ª Vara Criminal. A Justiça também deferiu a suspensão cautelar das atividades de duas empresas: a BLX Serviço de Engenharia Ltda e a Manuel Containers Andaimes Rio Eireli – Rio Containers. Confira os nomes:

  1. Breno Boffelli de Souza, 39 anos; preso no Recreio dos Bandeirantes;
  2. Bruno Pupe Cancella, 38 anos; preso na Freguesia, em Jacarepaguá;
  3. Fernando Vieira de Brito, 46 anos, preso no Piauí;
  4. Leonardo Igrejas Esteves Borges, 40 anos; preso em casa, na Barra da Tijuca;
  5. Manuel Henriques da Silva Júnior, 79 anos; preso em Jacarepaguá;
  6. Ainda não identificado.

Ao todo, o MP denunciou 27 pessoas pelos crimes de organização criminosa, ocupação, loteamento, construção, venda, locação e financiamento ilegais de imóveis, ligações clandestinas de água e energia elétrica e corrupção de agentes públicos.

Muzema

Em abril, dois prédios desabaram na região da Muzema, comandada por milícias. O desabamento matou 24 pessoas. Os imóveis, de cinco andares, ficavam no Condomínio Figueiras do Itanhangá. A Prefeitura do Rio afirmou, à época, que chegou a interditá-los em duas ocasiões. O desmoronamento ocorreu dias depois de uma forte chuva.


Você pode gostar
Publicidade
Publicidade 
Publicidade
  • CHARGE DO DIA

    Charge do dia
Publicidade