fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Brasil

Policial militar mata motorista de uber com disparo na cabeça

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Um policial militar em serviço deu um tiro na cabeça de um motorista de Uber durante uma tentativa de abordagem policial e o matou. Ele afirmou que o tiro foi acidental, foi indiciado por homicídio culposo (sem intenção de matar) e foi liberado após prestar depoimento à Polícia Civil. O caso, ocorrido às 16h20 dessa quinta-feira, 1º, em uma rua do Jardim São Luís, zona sul de São Paulo, é investigado pela Corregedoria da Polícia Militar.

A Secretaria Estadual da Segurança Pública, que não divulgou o nome do policial, afirmou que ele entregou sua pistola e que a Polícia Técnico-Científica está produzindo laudos sobre o caso. Segundo o governo do Estado, uma equipe da Polícia Militar fazia patrulhamento de rotina quando suspeitou do Honda Fit guiado por Caio Rodrigo Medina Vaz Amâncio, de 24 anos. Ao emparelhar o carro da polícia com o veículo suspeito, o disparo acidental foi efetuado.

A secretaria não informou o motivo de o policial estar com a arma na mão nem de ela estar apontada para o motorista.

Ao perceber o disparo, e também que o motorista havia sido atingido, os policiais pediram socorro ao Corpo de Bombeiros. Mas, quando resgate chegou, Amâncio já havia morrido. A Polícia Civil requereu perícia no local do crime e um inquérito foi instaurado.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Fonte: Estadão Conteúdo




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade