fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Brasil

Polícia acredita que autores do ataque em Criciúma são de fora do estado

“É uma inédita ação aqui no estado. Nunca houve com essa dimensão”, comentou o delegado Anselmo Cruz

Avatar

Publicado

em

Foto: Janniter de Cordes
PUBLICIDADE

O fim da noite de segunda-feira (30) e o início da madrugada de terça (1) foram de extrema violência em Criciúma-SC. Homens promoveram uma megaprodução para realizar um assalto a uma agência do Banco o Brasil. Armas de grosso calibre e explosivos espalhados por toda a cidade são só algumas das ações feitas pelos criminosos. Para a Polícia Civil, pessoas de fora de Santa Catarina cometeram o crime.

O delegado Anselmo Cruz, titular da Delegacia de Roubos e Antissequestro da Diretoria Estadual de Investigações Criminais de Santa Catarina, confessa nunca ter visto nada parecido no estado. “”É uma inédita ação aqui no estado. Nunca houve com essa dimensão, com essa violência e isso nós traz já, nos remete, a ser um pessoal de fora que tenha praticado o crime”, afirmou Cruz em entrevista à emissora de TV fechada GloboNews.

Grupo usou funcionários da Prefeitura no crime

O grupo criminoso chegou a obrigar seis trabalhadores do Departamento de Trânsito e Transporte (DTT) de Criciúma a atuarem no crime. Três dos seis que foram feitos reféns foram obrigados a auxiliar no carregamento dos malotes de dinheiro do banco até os veículos dos criminosos. Os funcionários da prefeitura foram rendidos, obrigados a tirar as camisas e sentar na faixa de pedestre a poucos metros da agência bancária alvo do assalto.

 

Esquadrão antibombas retira suposto explosivo deixado em frente a agencia bancária — Foto: Reprodução/GloboNews

Mais sobre o caso

Uma quadrilha de assaltantes provocou pânico e deixou Criciúma (SC) sitiada na madrugada desta terça-feira (1). A cidade localizada no sul de Santa Catarina foi invadida por homens fortemente armardos que fecharam acessos por meio de barreiras, trocaram tiros com a polícia e fizeram reféns.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A ação violenta começou no início da madrugada e durou ao menos duas horas. Há relatos de tiros contra um batalhão da Polícia Militar, veículos incendiados e explosivos espalhados pela cidade. O prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro (PSDB), pediu que a população fique em casa para se proteger. Segundo ele, o que ocorreu foi um assalto de grandes proporções, realizado por “bandidos bem preparados”.

Ações semelhantes ocorreram nos últimos meses em cidades do interior de São Paulo, como Araraquara e Botucatu.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade