fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Brasil

PF desarticular organização que agia por meio de sindicatos de fachada

Foi determinado pela Justiça o sequestro de bens e valores de todos os envolvidos, no valor de R$ 400 mil, e a suspensão das atividades de sindicato

Avatar

Publicado

em

Foto: Divulgação/PF
PUBLICIDADE

Na manhã desta sexta-feria (24) a Polícia Federal (PF) deflagrou a segunda fase da Operação Sindicus, para desarticular organização criminosa que se valia de sindicatos de fachada para obtenção de vantagens, no estado do Amapá.

Resultante de parceria entre a PF e o Ministério Público Federal (MPF), cerca de 30 policiais deram cumprimento a oito mandados de busca e apreensão em empresas e em um escritório de advocacia nas cidades de Macapá (AP), Mazagão (AP) e Santana (AP). Foi determinado pela Justiça o sequestro de bens e valores de todos os envolvidos, no valor de R$ 400 mil, e a suspensão das atividades de sindicato.

A operação é desdobramento da Operação Sindicus, deflagrada em maio de 2019, que verificou um esquema criminoso que consistia na criação de sindicatos irregulares com o intuito de eleger um dos integrantes da organização para o cargo de presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amapá (FIEAP), visando, desta forma, a administração do patrimônio da federação e a apropriação das contribuições sindicais pagas pelos seus filiados.

A investigação criminal constatou que os autores, mesmo após terem sido denunciados pela prática dos crimes de peculato, falsidade ideológica e organização criminosa, continuaram a empreender esforços para manutenção do engenhoso esquema criminoso.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os investigados poderão responder, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de falsidade ideológica, falsificação documental e organização criminosa. Se condenados, poderão cumprir pena de até 18 anos de reclusão.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade