fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Brasil

Opas e OMS dizem que continuarão a trabalhar com Brasil apesar de problemas políticos

Para Espinal, o Brasil tem um sistema de saúde “único, uma jóia” que presta serviços de atendimento básico importante

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Matheus Moreira
São Paulo, SP

Em conferência de imprensa virtual realizada nesta terça-feira (9), Marcos Espinal, diretor do departamento de doenças transmissíveis da Opas (Organização Panamericana da Saúde), disse que a organização, assim como a OMS (Organização Mundial da Saúde) continuarão trabalhando com o Brasil no combate ao coronavírus apesar do que chamou de “a coisa política”.

Para Espinal, o Brasil tem um sistema de saúde “único, uma jóia” que presta serviços de atendimento básico importante. ” A organização continuará trabalhando com o Brasil. Estamos capacitando profissionais de saúde em Manaus e em outras áreas. O Brasil tem uma história de cooperação com a OMS e a Opas. Além de um sistema de saúde único, uma jóia. Acreditamos que independentemente da coisa política nós continuaremos apoiando o brasil’, disse.

Na última sexta (5), o presidente Jair Bolsonaro disse que o Brasil poderia deixar a OMS caso organização não deixe de ser uma entidade “política e partidária”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Adianto aqui: Os EUA saíram da OMS, a gente estuda no futuro. Ou a OMS trabalha sem o viés ideológico ou a gente está fora também. Não precisamos de gente lá de fora dar palpite na saúde aqui dentro”, disse. A fala de Bolsonaro foi transmitida pela rede CNN Brasil. “Ou a OMS realmente deixa de ser uma organização política e partidária ou nós estudamos sair de lá”, acrescentou.

As informações são da FolhaPress




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade