fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Brasil

MP aciona governo e prefeitura por falta de medicamentos oncológicos 

MP-BA entrou com ação civil pública para pedir que a Justiça determine regularizações dos serviços oncológicos em até 15 dias

Letícia Perdigão

Publicado

em

PUBLICIDADE

Da redação
redacao@grupojbr.com

O Ministério Público (MP-BA) acionou a Prefeitura de Itabuna e o estado por falta medicamentos para realização de quimioterapias. De acordo com os pacientes da Santa Casa, os medicamentos começaram a acabar em junho deste ano. 

O MP entrou com uma ação civil pública para pedir que a Justiça determine a regularização dos serviços oncológicos em até 15 dias. 

Uma mulher começou neste ano o tratamento contra o câncer de mama na Santa Casa da Misericórdia. Gildeci Santos de Oliveira, de 49 anos, teve o tratamento interrompido após os medicamentos que ela tomava entre as sessões de quimioterapia terminarem. 

Ela teve o quadro de saúde agravado e começou a sentir muitas dores. A mulher foi levada para Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Itabuna, que não tem ambulatório oncológico. 

Gildeci conta que está quase um mês sem tomar medicação e pede atenção dos governantes para que olhem para as pessoas que estão sofrendo com a doença e com a falta de medicamentos. 

De acordo com o secretário de saúde de Itabuna, Uildson Nascimento, a falta de medicamentos da oncologia é devido a crise financeira na Santa Casa e não por falta de pagamentos por parte da prefeitura. 

Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde informou que não tem conhecimento da ação movida pelo Ministério Público e esclareceu que os estabelecimentos habilitados em oncologia pelo SUS são os responsáveis pelo fornecimento desses medicamentos.


Leia também
Publicidade