Siga o Jornal de Brasília

Brasil

Médicos utilizam realidade virtual para treinamento de cirurgias

Publicado

em

Publicidade

Gabriel Lima
Enviado especial a São Paulo*
redacao@grupojbr.com

A realidade virtual aumentada está sendo utilizada no treinamento de profissionais da saúde em São Paulo. O Instituto Johnson e Johnson apresentou uma nova tecnologia, a VR Attune, que permite que médicos possam aprimorar as técnicas utilizadas em procedimentos cirúrgicos em um ambiente que se aproxima do real.

O Brasil é um dos primeiros países a receber a inovação, que faz parte da estratégia de expansão geográfica da companhia.

Composta por um notebook, óculos de realidade virtual e manoplas, a aparelhagem permite que um médico, seja ele experiente ou ainda na residência médica, simule uma cirurgia, desde a entrada no centro cirúrgico, passando pela execução da intervenção, até o momento de finalização do procedimento que foi pré-selecionado para o teste. Também há a simulação para eventuais complicações.

Publicidade

Sanda Humbles, vice presidente global do Johnson e Johnson Institute, ressalta a importância dessa nova tecnologia para o aprendizado. “Esse é um novo meio para acrescentar conhecimento para esses profissionais. Além de serem testados com essa nova ferramenta, há uma avaliação crítica e um feedback de tudo o que foi feito no teste”, explicou.

Dessa maneira, o profissional pode aprimorar ainda mais suas habilidades, a fim de diminuir o tempo de uma cirurgia e facilitar o pós-operatório dos pacientes.

A nova ferramenta faz parte da tríade que o instituto busca para os profissionais treinados. Para Elisabete Murata, líder de Educação da América Latina, educação, tecnologia e a prática constroem um profissional mais capacitado.

“É muito importante porque vai gerar benefícios tanto para o paciente quanto para o médico. É claro que a tecnologia não é a solução, mas sim um meio”, disse. Mesmo sendo uma tecnologia nova, o VR já está na grade daqueles que buscam a educação continuada na Johnson e Johnson.

Nesse primeiro momento, o VR Attune disponibiliza o treinamento para a colocação de próteses de joelhos e a abordagem anterior do quadril. O profissional em treinamento terá a possibilidade de experimentar a sensação de manusear os instrumentos, com o auxílio das manoplas, encaixar e desencaixar peças que montam o aparelho para sua utilização. Hoje, no Brasil, apenas a sede de São Paulo possui a tecnologia. Há previsão de chegada de mais aparelhos até o meio do ano.

O instituto
O Instituto Johnson e Johnson é um centro de educação médica continuada, equipado com inovações de última geração, que tem como objetivo oferecer treinamento em procedimentos cirúrgicos inovadores. Dessa maneira, proporcionar aos profissionais a experiência do acesso a tecnologias pouco difundidas nos programas de residência médica e hospitais pelo País.

Hoje, existem 26 unidades estratégicas localizadas em 4 continentes – Europa, Ásia, América do Sul e do Norte -, conectados entre si para promover um intercâmbio de conhecimento e capacitação, a fim de evoluir os métodos e agregar valores aos médicos. Além de São Paulo, existe outro no Rio de Janeiro e em Recife.

O portfólio do instituto prevê mais de 250 programas de mais de 20 especialidades médicas e cirúrgicas, entre elas, procedimentos de cirurgia bariátrica e metabólica, câncer colorretal, osteoporose, osteoartrite, eletrofisiologia e endometriose.

*O repórter viajou a convite do Instituto Johnson e Johnson


Você pode gostar
Publicidade