Siga o Jornal de Brasília

Brasil

Líder indígena Guajajara é assassinado em confronto no Maranhão

O governo do Maranhão informou ter enviado equipes de segurança e direitos humanos para proteger os indígenas na região e ajudar nas investigações

Publicado

em

PUBLICIDADE

O líder indígena Paulo Paulino Guajajara, do grupo denominado Guardiões da Floresta, foi assassinado numa emboscada realizada ontem (1º) na Terra Indígena Arariboia, no município maranhense de Bom Jesus das Selvas. A informação foi confirmada pela Secretaria de Participação e Direitos Humanos do Maranhão.

Por meio do Twitter, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, disse que a Polícia Federal (PF) vai apurar o assassinato de Paulo Paulino Guajajara.

“Não pouparemos esforços para levar os responsáveis por este crime grave à Justiça”, escreveu.

Outro líder, o índio Laércio Souza Silva, foi hospitalizado com ferimentos à bala, mas já teve alta hospitalar, de acordo com a secretaria. O outro morto seria um madeireiro que participou da emboscada. O governo do Maranhão informou ter enviado equipes de segurança e direitos humanos para proteger os indígenas na região e ajudar nas investigações.

Segundo relatos, Laércio e Paulino, que era conhecido como “Lobo Mau”, haviam se afastado da aldeia para buscar água e foram cercados por pelo menos cinco homens armados que atiraram contra eles.

No Twitter, o governador do Maranhão, Flávio Dino, disse que a competência para apurar crimes contra os direitos indígenas é da esfera federal, mas que a polícia estadual colabora com as investigações. O governo estadual também ofereceu ajuda ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) para combater queimadas na região, destacou o governador.

Em nota, a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) criticou a “ausência do poder público na proteção dos territórios indígenas”.


Você pode gostar
Publicidade
Publicidade
Publicidade