Siga o Jornal de Brasília

Brasil

Fazenda enviou 200 relatórios à Lava-Jato e ajudou a bloquear mais de R$ 46 milhões

Publicado

em

Publicidade

Jéssica Antunes

jessica.antunes@grupojbr.com

Mais de 200 relatórios de atividades financeiras suspeitas foram enviados à Operação Lava-Jato nem 2017 pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf). A informação é de Ricardo Liáo, diretor-executivo do órgão, que é vinculado ao Ministério da Fazenda e responsável pelo combate à lavagem de dinheiro e ao terrorismo no Brasil. Ele participa do 12º Encontro Nacional de Editores, Colunistas e Blogueiros (Enecob) em Foz do Iguaçu (PR).

Em 2017, 6.608 relatórios de inteligência foram produzidos pelo Coaf a partir de mais de 1,5 milhão de comunicações de atividades suspeitas em vários setores econômicos do País. De acordo com Liáo, 2.855 foram entregues a autoridades da capital federal. Para ele, a corrupção é “sem dúvida, a mais visível fonte de lavagem de dinheiro e se dá principalmente por meio de compras de bens de luxo ou de alto valor”.

Dos relatórios emitidos no ano passado, mais de R$ 46 milhões foram bloqueados de valores de contas correntes, fundos de investimentos e previdências privadas ligadas a investigados por crime de lavagem de dinheiro ou outros ilícitos, no Brasil e no exterior, incluindo alvos da Lava a Jato. Por lei, qualquer movimentação financeira em dinheiro vivo em depósitos ou saques acima de R$ 50 mil precisam ser comunicadas pelos bancos aos órgãos.

*A repórter é enviada especial a Foz do Iguaçu

 


Você pode gostar
Publicidade