fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Brasil

Em segundo turno, Macapá elege prefeito neste domingo (20)

Dr. Furlan (Cidadania) e Josiel Alcolumbre (DEM), irmão do presidente do Senado, Davi Alcolumbre, disputam o cargo

Avatar

Publicado

em

Foto: Divulgação/Governo do Amapá
PUBLICIDADE

Cerca de 292,7 mil eleitores vão às urnas neste domingo (20), em Macapá-AP, para votar no segundo turno das eleições municipais. Os candidatos Dr. Furlan (Cidadania) e Josiel Alcolumbre (DEM) disputam para ver quem comanda a capital amapaense até 2024.

Para evitar aglomerações e a contaminação pela covid-19 de pessoas do grupo de risco, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sugere que das 7h às 10h seja dada prioridade a eleitores maiores de 60 anos, conforme estabelecido no Plano de Segurança Sanitária para as Eleições Municipais de 2020.

Serão disponibilizadas três máscaras faciais aos mesários, que devem ser trocadas a cada quatro horas. Também será oferecida viseira plástica e álcool em gel para uso pessoal. Eleitores e mesários que apresentarem febre ou que foram diagnosticados com a covid-19 nos últimos 14 dias que antecederam este segundo turno em Macapá não devem votar.

O processo eleitoral em Macapá foi adiado devido ao apagão energético que, a partir de 3 de novembro, afetou o estado, após um incêndio ter destruído três transformadores e uma subestação de energia na capital.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Diante da situação, o TSE acatou pedido do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e, no dia 12 de novembro, anunciou que o pleito seria adiado. No primeiro turno, que ocorreu em 6 de dezembro sem registro de incidentes, compareceram 217.161 eleitores (74,19% do total apto a votar).

O número de abstenções (75.557) correspondeu a 25,81% do eleitorado. Os votos em branco (5.740) representaram 2,64%, e os nulos (9.512), 4,38%.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Eleitores e mesários estarão sujeitos a regras simples, mas obrigatórias. Máscara de proteção facial será exigida para entrada e permanência no local de votação. Álcool em gel será disponibilizado para higienizar as mãos, antes e depois de votar. Também é recomendado ao eleitor que leve sua própria caneta para assinar o caderno de votação. O comprovante de votação somente será fornecido mediante prévia solicitação ao mesário, antes de o eleitor entrar na cabine para votar”, informou, em nota, o TSE.

Com informações da Agência Brasil

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade