fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Brasil

Brasil chega à marca de 150 mil mortos por covid-19

Distrito Federal tem índice de mortes pior do que o Peru, país com a maior taxa de óbito em todo o mundo

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Em sete meses de pandemia, o Brasil chegou na tarde deste sábado, 10, à marca de 150.023 mortes por covid-19, de acordo com dados do levantamento realizado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL com as secretarias estaduais de Saúde. A análise da taxa de óbito em cada Estado também confirma o mau resultado brasileiro no combate ao novo coronavírus.

Se fossem países independentes, quatro unidades federativas estariam no topo do ranking mundial com os piores índices de morte por milhão de habitantes.

Levantamento do Estadão Dados indica que quatro unidades do Brasil têm índice ainda pior do que o Peru, país com a maior taxa de óbito no mundo, com 1.002 casos por milhão de habitantes. São eles: Distrito Federal (1.127 óbitos por milhão de pessoas), Rio de Janeiro (1.113), Mato Grosso (1.034) e Amazonas (1.019). A reportagem excluiu Roraima no ranking por ter população estimada de 605,7 mil habitantes – número inferior, portanto, ao critério adotado.

Na outra ponta da tabela, Minas Gerais aparece com a menor taxa do Brasil, de 381 mortes por milhão. Estados da região Sul, onde o coronavírus também chegou mais tarde, vêm logo em seguida: Santa Catarina (404), Paraná (410) e Rio Grande do Sul (451).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Segundo pesquisadores ouvidos pelo Estadão, o fato de a pandemia se manifestar em momentos e intensidades distintas ajuda a explicar a disparidade de mortes nos diferentes locais do Brasil – mas não é a única justificativa. Sudeste, Norte e Nordeste registraram pico de óbitos por covid-19 no período entre o fim de abril e meados de maio. Já as regiões Sul e Centro-Oeste apresentaram uma curva mais tardia, com maior patamar no mês de julho.

Estadão Conteúdo




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade