Siga o Jornal de Brasília

Sem Firula

Velocidade

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Já passamos da metade do primeiro mês do ano.

A velocidade do chamado mundo moderno chega a assustar.

Ainda outro dia perdíamos de 7 a 1 para a Alemanha, em Belo Horizonte, dando adeus ao sonho da Copa de 2014 e já perdemos, também, o Mundial de 2018 – que já é coisa do passado, também.

Começamos a nos preparar para a Copa América, que será realizada por aqui em junho e julho.

Estamos de olho na preparação para a Copa do Mundo de 2022, no Qatar…

O futuro mais imediato, porém, nos aponta para o início de diversos estaduais neste fim de semana.

Torneios que muitos julgam mortos e (quase) sepultados, mas que agradam o torcedor.

Principalmente aquele torcedor cujo time não participa de nenhuma divisão do Brasileiro ou, mesmo participando, não tem outra luta a não ser fugir de um possível rebaixamento.

No Estadual, não.

No Estadual, seu time pode ser campeão. Pode ser rei. E passar ao torcedor esta deliciosa sensação de vitória.

Mas o tempo passa depressa.

Por vezes tão rapidamente que nem dá para acompanhar.

Sabe o leitor que o Estadual do Rio já teve uma fase inteira realizada?

Sim!

Eram seis times, começou em dezembro, terminou no último fim de semana.

Por conta do calendário apertado e da necessidade de correr para encaixar desejos e necessidades, dos seis só ficaram dois – que começarão o Carioca neste fim de semana.

Americano, Goytacaz, Rezende, Nova Iguaçu, Macaé e America – sim, o Ameriquinha “segundo time” de tantos torcedores.
Sobreviveram Americano e Rezende. Estes jogarão ao menos 11 partidas no Campeonato Carioca.

Os outros quatro terão um “Torneio da Morte”.

Dois sobreviventes esperarão até dezembro para receber os dois últimos deste Carioca, mais os dois primeiros da segunda divisão e realizarem outra fase preliminar. Já para 2020.

Isso, claro, se nada mudar.

Nenhum dos quatro, ou até dos seis, até agora disputará nenhum Brasileiro.

Para eles, o tempo vai demorar a passar, contrariando tudo aquilo que foi escrito até aqui.

A velocidade do mundo moderno, às vezes, torna-se lenta quando precisamos que o tempo passe depressa.

Funil

Neste atabalhoado calendário da Copa São Paulo de juniores, com jogos dia sim, dia sim, quatro partidas das quartas-de-final aconteceram nesta terça-feira.

Nos quatro jogos, representantes do futebol paulista.

Jogaram o Rio Preto (contra o Cruzeiro), o Guarani (contra o Botafogo), o Palmeiras (contra o Figueirense) e houve um confronto entre dois conterrâneos (São Paulo x Mirassol).

O jogo do Verdão estava previsto para 21h45, fechando o dia.

Nesta quarta-feira, mais quatro partidas e dois paulistas (Corinthians, que enfrenta o Visão Celeste; e Audax, que enfrentará o Grêmio).

A tabela, digam o que quiserem, foi feita para uma final entre Palmeiras e Corinthians.

O Timão, maior campeão da Copinha; o Palmeiras, único grande paulista que jamais a conquistou.

Só que o Verdão está desfalcado do timaço que ganhou praticamente tudo na temporada passada.

Ah… Para tentar estragar tudo ainda teremos, nesta quarta-feira, Volta Redonda x Atlético Mineiro e Vasco x Coritiba.


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade