fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Sem Firula

Só discurso

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

 

O presidente do Flamengo entregará o cargo no fim deste ano.

Seu mandato termina e ele, vejam só, é candidato a deputado federal. Pelo Rio de Janeiro.

Então, sempre que possível, atualmente, vem jogando para a galera.

Principalmente os rubro-negros, é claro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Só isso explica o demagógico ataque que fez ao treinador da seleção brasileira após a convocação para os dois amistosos do mês que vem, nos Estados Unidos, contra El Salvador e os donos da casa.

Antes de continuar, o colunista faz questão de abrir um parênteses: considero que Tite não deveria chamar nenhum jogador que atua no Brasil, visto estarmos em fase decisiva da Copa do Brasil, da Libertadores e da Sul-Americana – sem contar que o Brasileiro está pegando fogo, para usar uma expressão antiga.

Feito o adendo do escriba…

Pois bem…

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Tite convocou Everton, do Grêmio (que luta no Brasileiro e na Libertadores); Fagner, do Corinthians (está também na semifinal da Copa do Brasil), Pedro, do Fluminense (o tricolor carioca briga desesperadamente para não entrar no Z-4 do Brasileiro), Dedé, do Cruzeiro (também envolvido em múltiplas competições) e Hugo e Paquetá, do Flamengo (sim, envolvido em três frentes como já citado aqui).

Então…

O cartola flamenguista decidiu atacar Tite pela convocação de Paquetá.

Em seu delírio demagógico afirma que não vai liberar o jogador para a seleção, que é um absurdo desfalcar os times para jogos sem expressão e outros devaneios.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Como o colunista já escreveu, sim, os jogadores não deveriam ser convocados neste momento.

Tem muita gente jogando no exterior – alguns até estiveram, sabe-se lá a razão (talvez Tite consiga explicar), na Copa do Mundo.

Por que, então, não poderiam jogar contra El Salvador e Estados Unidos?

O que chama mais a atenção nos protestos do cartola (e não vi reclamações de Fluminense, Grêmio, Corinthians ou Cruzeiro) e que ele não reclama da estranha convocação do seu goleiro sub-20, Hugo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Claro, dirão os leitores, que não há protesto porque Hugo não é titular da equipe.

Pode até ser, mas todos sabemos como uma convocação para a seleção rende frutos para clube e empresário, não é mesmo (vejam que estou sendo gentil e não cito dirigentes ou outros envolvidos no negócio)?

Até mesmo Paquetá, agora convocado, terá seu passe (perdoem o uso de termos antigos, mas o faço para facilitar o entendimento) valorizado – e, com isso, mais grana para o Flamengo e também para ajudar nas contas do clube, grande folhetim de campanha da atual diretoria.

Seria interessante que o cartola mor do Flamengo se preocupasse mais com seu clube e menos em atirar demagogias, lembrando que esta mesma CBF que ele critica foi aquela que o convidou para chefiar uma delegação do Brasil em outros amistosos também inexpressivos.

 

Em branco

Cristiano Ronaldo estreou, oficialmente, ontem, na Juventus.

O time de Turim ganhou, apertado, do Chievo (3 a 2).

CR7 não marcou. E quase atrapalhou seu time, se intrometendo numa jogada que resultou em gol, mas acabou anulado por sua participação.

A atuação não merece elogios, mas estreia é sempre estreia.

Os tifosi (torcedores) da Juventus alimentam, fortemente, o sonho de ver seu time voltar a dominar a Europa, agora sob a batuta do português.

 

Ponto a ponto

Flamengo, vice-líder do Brasileiro com 37 pontos ganhos, enfrenta o Atlético Paranaense (que está no Z-4), em Curitiba, às 11h.

Internacional, terceiro colocado com 35 pontos ganhos, recebe o lanterna Paraná, no mesmo horário, em Porto Alegre.

À noite, 19h, o São Paulo, líder com 38 pontos ganhos, terá pela frente a Chapecoense, no Morumbi.

Dependendo da combinação de resultados, os três poderão mudar totalmente de posições neste domingo.

O Brasileiro, apesar de tudo, tem emoções a oferecer.


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade