fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Sem Firula

Inversões

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

A seleção brasileira realiza, esta tarde (sim, o jogo será às 17h30 horário de Brasília) seu décimo jogo pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2018 sob o comando de Tite.
Sem medo de errar afirmo que será o jogo mais complicado, talvez o mais violento, certamente o mais tenso.
E digo isso sem esquecer que o Brasil já está classificado para o Mundial, enfileirando nove vitórias em nove partidas – a primeira delas, há pouco mais de um ano, contra o Equador, fora de casa.
E por que o colunista colocou tantas dificuldades para o jogo desta tarde no caminho de Tite e seus comandados? Simples. A Colômbia precisa do jogo de hoje para garantir sua vaga. Ou melhor: se vencer, a seleção colombiana será a segunda equipe da América do Sul a garantir seu lugar na Rússia.
É ou não é motivo para que o jogo seja complicado, possivelmente violento (alguém aí já esqueceu de como foram nossos últimos confrontos com os colombianos, e estou falando de Copa do Mundo e Copa América?), certamente muito tenso.
A Colômbia perdeu uma grande chance na partida anterior, contra a Venezuela. Mesmo tendo atuado fora de casa, a Colômbia contava com a vitória, afinal de contas, a Vino Rojo é a lanterna das eliminatórias. Não aconteceu.
A torcida colombiana promete lotar o estádio em Barranquilla para apoiar o seu time e festejar a vaga.
Os ingressos para o jogo de hoje foram comercializados em menos de duas horas. Os cambistas estão fazendo a festa vendendo um bilhete por até R$ 1,5 mil – isso mesmo: mais de 400 dólares.
Parece que Tite irá realizar algumas mudanças no time. O que me parece mais importante, neste momento, é mostrar aos jogadores a importância do jogo coletivo – e aqui mando um recado direto para Neymar.
Se o Brasil mantiver sua invencibilidade nas eliminatórias, a Colômbia poderá terminar a rodada em quinto lugar, ou seja, no limite da luta pela classificação (a tal meia vaga). E falo isso no caso de empate, se o Brasil ganhar…
A rodada de hoje, aliás, pode colocar a Argentina, finalmente, entre os quatro classificados.
Os hermanos vêm há algum tempo rezando para não ficarem de fora da tal meia vaga. Hoje, contra a Venezuela, a expectativa é de conseguir os três pontos, com uma exibição de gala.
Só que, olhando para os jogos da Europa, por exemplo, um fantasma se aproxima de Messi e companhia: a França, domingo, não passou de um empate diante de Luxemburgo. Sabem há quantos anos os franceses ganhavam, ininterruptamente, de Luxemburgo? Apenas 103. Isso mesmo: todos os jogos realizados entre França e Luxemburgo, nos últimos 103 anos, foram de vitórias para os franceses. Domingo deu empate.
Já imaginaram o que poderá acontecer se a Argentina não derrotar a Venezuela?
Vou falar matematicamente: em caso de empate, ou derrota, os argentinos podem cair para sétimo lugar. E faltando apenas duas rodadas para o fim das eliminatórias da América do Sul.
Uma catástrofe – para eles, é claro.
Não custa recordar, também, que os próximos jogos da Argentina serão contra o Peru (em casa) e o Equador, fora. Com os dois ainda sonhando com um lugar na Rússia, em 2018.
O dia é hoje. Simples assim.
E se a Argentina precisa vencer, em casa, o Chile precisa dos três pontos fora de casa. Na altitude boliviana os chilenos jogam quase que suas últimas chances de chegar à Copa do Mundo.
Depois de todo a animação com as conquistas da Copa América (2015) e Copa América Centenário (2016), os chilenos caíram na real e hoje ocupam um modesto quarto lugar, com o mesmo total de pontos da Argentina (levam vantagem no número de vitórias). Só que o último jogo do Chile, na rodada de encerramento das eliminatórias, será contra o Brasil, na Allianz Arena – é claro que eles não estão contando com pontos neste jogo. Restam, então, dois jogos para marcar. O de hoje e o próximo, em casa, contra o Equador.
O último jogo da rodada, Paraguai x Uruguai, talvez seja o de maiores emoções. Os paraguaios entraram no rumo da luta pela vaga após derrotar o Chile, em Santiago. O Uruguai está ali, na zona de classificação, mas sempre envolvido por Colômbia, Equador, Argentina… Um empate não é mau resultado para a Celeste, mas é ruim para os guaranis. Será que teremos um ataque contra defesa? A presença do artilheiro Luiz Suarez é incerta, o que diminui o poderio ofensivo do Uruguai. Boa desculpa para colocar o time na retranca e sair de Assunção ao menos com um pontinho.
Ah… Temos também um Equador x Peru, em território equatoriano. Todos os que estão lutando por um lugar na Rússia torcerão pelo empate, que atrapalharia a vida das duas equipes. Deve ser uma partida com alto poder ofensivo, afinal de contas, quem perder está praticamente fora da briga. E o empate, repito, tira os dois.


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade